segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Correio Eletrônico - Terceira parte

Gerenciar a correspondência diretamente no provedor é um procedimento relativamente seguro (ou mais seguro do que descarregar as mensagens no PC), visto que a maioria dos serviços de webmail integra ferramentas antivírus, anti-spam e outras que tais (todo internauta deveria ter também um arsenal residente, mas a despeito dos inúmeros perigos virtuais que nos espreitam, muitos continuam "relapsos de carteirinha" em relação à segurança dos dados - assunto que discutiremos oportunamente).
Em contrapartida, ainda que o espaço para as mensagens tenha crescido bastante nos últimos tempos, ainda há provedores miseráveis que limitam a quota de seus assinantes a inexpressivos 5 ou 10 Megabytes (basta alguém mandar umas poucas fotos, apresentações ou um vídeo mais volumoso, e o usuário não receberá novos e-mails até que faça uma "faxina" na sua caixa postal). Já com o OE ou outro cliente qualquer, as mensagens são descarregadas dos servidores do provedor para o computador do internauta (ou seja, são copiadas para o disco rígido, liberando espaço para novos e-mails). Para o pessoal da conexão discada, o uso de um software cliente representa ainda uma sensível economia na conta de telefone, porque o interessado pode fazer o download e se desconectar da internet para ler, responder e gerenciar as mensagens em off. Tanto as respostas quanto os novos e-mails ficarão na caixa de saída do programa, que irá despachá-los automaticamente quando voltar a ser aberto e identificar uma conexão ativa com a Rede.

Até a próxima.
Postar um comentário