quarta-feira, 28 de março de 2007

Windows Vista - final

Para concluir a abordagem elementar que nos propusemos fazer do assunto em pauta, resta dizer o seguinte:

1. Mais hora, menos hora, todos vamos migar para o Vista. Isso são favas contadas, mas nem sempre é boa política fazer hoje o que se pode deixar para fazer (melhor) amanhã. Minha sugestão é esperar a poeira assentar para evitar aborrecimentos desnecessários: lembre-se de que os pioneiros são reconhecidos pela flecha espetada no peito (haja vista - sem trocadilhos - o que aconteceu com os mais afoitos na época do lançamento do XP).

2. A menos que você tenha um PC atual e de configuração robusta, com processador dual core e fartura de RAM e de espaço no HD, considere a possibilidade de conciliar a migração com a aquisição de uma máquina nova. Assim, você minimizará problemas de drivers de dispositivos ou de incompatiblidades com componentes que não sejam adequados ou dimensionados para operar com o Vista. Computadores modestos, projetados e construídos visando a um contexto de dois ou três anos atrás, até podem rodar o Vista - mas muito lentamente. Nesse caso, melhor ficar com o XP por mais algum tempo.

3. Usar versões mais modestas do novo sistema pode até ser uma solução para quem não dispõe de uma configuração de hardware adequada, mas o resultado não é lá muito satisfatório. Gastar dinheiro para ter um PC mais lento não me parece uma idéia muito interessante, e abrir mão das sofisticações e funções adicionais apenas para dizer aos amigos que você já está usando o Vista é, salvo melhor juízo, pura idiotice. Vale lembrar que você pode baixar um programa como o Vista Customization, que modifica a aparência do XP, deixa-o bem parecido com seu irmão mais novo e não costuma apresentar problemas na hora de uma eventual desinstalação.

4. Tome cuidado com PCs "Vista Capable". Alguns modelos de entrada de linha podem até ser compatíveis com o Vista, mas isso não significa que você irá usufruir plenamente os aprimoramentos que ele disponibiliza. Não espere milagres de máquinas vendidas em grandes magazines e hipermercados por algo em torno de 2 mil Reais.

5. Se você quiser realmente se arriscar a fazer o upgrade, escolha a versão Premium (melhor relação custo x benefício para uso doméstico). A Ultimate, além de ser mais exigente, tem preço 60% superior e atributos herdados de edições voltadas ou uso eminentemente corporativo.

Vale mencionar que existe uma ferramenta (vLite) destinada a personalizar o Vista e deixá-lo apenas com os recursos estritamente necessários, até porque, dependendo do perfil de cada usuário, muitos dos serviços disponibilizados pelo sistema talvez nunca venham a ser utilizados. Mas isso já é uma outra história e fica para outra vez.

EM TEMPO (e a quem interessar possa): Nosso amigo Leo disponibilizou em seu blog o link http://www.4shared.com/file/12869776/b7b98ef2/_windows, para download de um livro (em PDF) que apresenta uma abordagem detalhada do Vista. Sirvam-se.

Abraços e um bom dia a todos.
Postar um comentário