quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Dicas para quando você for trocar seu PC

Basta abrir o jornal ou ligar a TV para ver PCs e Notebooks "0 KM" anunciados por preços bastante palatáveis, e com pagamento facilitado. Diante dessas novidades - não raro com processadores de dois ou mais núcleos, discos rígidos de capacidade estratosférica e fartura de memória (requisitos essenciais para quem quer rodar o Windows Vista, mas igualmente bem recebidos para usuários do velho e confiável XP) -, sua pobre máquina atual, mesmo que comprada há pouco tempo, acaba lhe parecendo uma peça de museu. Então, você resolve aproveitar a maré e partir para um computador novinho em folha... e aí surge o problema: o que fazer com seu velho companheiro cibernético?
Existem diversas soluções - dentre outras, transoformar o PC num firewall ou num servidor de arquivos -, mas que, convenhamos, não são muito adequadas a usuários domésticos (para os quais a melhor solução quase sempre consiste em "passar adiante" o equipamento usado e faturar uns trocados).
Entretanto, a queda nos preços dos modelos novos dificulta a venda dos usados, e nem sempre é fácil encontrar um interessado disposto a pagar por eles um valor que o vendedor ache "razoável". Nesse caso, com algum conhecimento de hardware e umas poucas ferramentas, qualquer um que disponha de certa habilidade para serviços manuais poderá desmontar um PC e aproveitar um ou outro componente na máquina nova (no caso de uma integração, evidentemente).
O HD, por exemplo, se não for muito pequeno, poderá servir para armazenar arquivos menos importantes ou backup (sem falar que reaproveitá-lo no computador novo ajuda muito na migração dos dados). Já uma placa de vídeo PCI pode ficar "de reserva" - ou ser instalada junto com a principal (AGP ou PCI Express), permitindo trabalhar com dois monitores. E se a máquina nova não tiver uma placa de modem, você poderá instalar a do PC antigo para conectar a Net em casos de emergência - se a conexão de banda larga falhar num momento crucial, por exemplo.
Já quem parte para a compra de um equipamento montado não pode fazer essas "gambiarras", sob pena de invalidar a garantia oferecida pelo fabricante ou revendedor. Mesmo assim, as peças podem ter procura na Internet - fotografe os componentes, copie suas especificações e anuncie-os em sites de leilão. Talvez você não apure muito dinheiro, mas a solução será sempre melhor do que simplesmente deixar o micro jogado no quarto de despejo.
Finalmente, se resolver vender (ou doar) o computador "completo", você deverá tomar alguns cuidados para que seus dados não fiquem "dando sopa". Antes de passar a máquina adiante, formate o(s) HD(s) - ou seja, apague todas as informações armazenadas nos discos. Para isso, basta inserir a mídia de instalação do Windows na gavetinha, dar o BOOT pela unidade de CD/DVD e seguir as instruções nas telas. Você pode simplesmente formatar o disco ou, se preferir, reinstalar o sistema operacional.
Outra maneira de apagar seus dados (que, além de ser um pouco mais complicada, aplica-se apenas a desktops, não a notebooks) consiste em instalar o HD como slave em outro PC, clicar no ícone MEU COMPUTADOR, selecionar a unidade em questão, dar um clique direito sobre ela e escolher a opção FORMATAR.
Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário