quarta-feira, 14 de maio de 2008

Espaço nunca é demais

Quando você troca seu velho PC por um modelo novinho em folha, pode achar “um exagero” o tamanho do HD, mas como os sistemas e programas estão ficando cada vez mais volumosos, todo esse espaço se esvai rapidamente, especialmente nas mãos de quem armazena toneladas de fotos digitais, músicas, clipes, filmes e outros arquivos multimídia.
Sabemos que o disco rígido tem papel preponderante no desempenho global do computador (assunto abordado detalhadamente na seqüência de postagens publicada em meados de fevereiro), até porque o Windows o utiliza para simular memória quando a RAM não atende a demanda do sistema e dos programas em execução. E se isso já faz a performance claudicar, a coisa fica ainda pior quando existe pouco espaço livre no disco.
Para avaliar a situação do seu drive, abra o Windows Explorer, clique com o botão direito no ícone que representa sua unidade de sistema (normalmente “C”) e, no menu suspenso, selecione Propriedades.
Na janelinha que irá se abrir, você verá uma representação gráfica em forma de pizza, onde a área em azul corresponde ao espaço ocupado, e a rosa, ao espaço livre (com 3/4 do disco ocupado, você já deve começar a se preocupar). Clique no botão Limpeza do disco aguarde até que o utilitário calcule a quantidade de espaço que pode ser recuperado. Selecione as opções desejadas (ou marque todas elas), clique em OK e em Sim. (A aba Mais Opções permite aprofundar a limpeza, mas envolve a desinstalação de componentes do Windows e de aplicativos agregados ao sistema, bem como a exclusão dos pontos de restauração – tome muito cuidado, portanto, com o que for eliminar).
Se o espaço ganho com essas providências não for suficiente, abra o Outlook Express e faça uma faxina em regra. Mantenha na caixa de entrada somente aquilo que for necessário e esvazie as pastas de mensagens enviadas e excluídas. Depois, clique no menu Arquivo, na opção Pasta e em Compactar todas as pastas.
A maioria das ferramentas de manutenção cuja utilização eu já sugeri aqui no Blog pode ser de grande ajuda, até porque, além dessa limpeza básica, permite fazer ajustes no Registro do Windows. Pessoalmente, eu uso – e recomendo – o CCleaner e o Easy Cleaner (baixe-os de sua página de downloads preferida ou pesquise o Blog para obter os links que remetem aos sites dos respectivos fabricantes).
O Easy Cleaner permite pesquisar e localizar arquivos duplicados, mas, como deixa a critério do usuário a eliminação das cópias, é preciso tomar muito cuidado. Ele cria uma lista levando em conta o nome, data de modificação e criação ou tamanho dos arquivos, só que eles nem sempre são cópias um do outro; em algumas situações, isso é fácil de verificar, em outras, nem tanto. A exclusão de arquivos de imagem, vídeo, música e documentos do Office (bem como daqueles armazenados em pastas com o nome TEMP) geralmente pode ser feita sem maiores problemas, mas o mesmo não se pode dizer de arquivos do sistema (especialmente com as extensões .DLL e .EXE), cuja eliminação pode comprometer o funcionamento de algum programa - ou do próprio Windows. Então, se não tiver certeza do que são e para que servem os tais arquivos, o melhor mesmo é deixá-los lá.
Para quem armazena milhares de músicas, ter cópias duplicadas (ou triplicadas) é uma conseqüência natural, e como esses arquivos tendem a ser volumosos (mesmo em MP3), eliminar a redundância pode representar um ganho de espaço bastante significativo. Como uma pesquisa manual dá um bocado de trabalho, você pode simplificar o processo com o EF Duplicate MP3 Finder, disponível em versões Trial e completa (mais informações e download em http://www.softpedia.com/progDownload/EF-Duplicate-MP3-Finder-Download-24391.html). Depois de baixar e instalar o programinha (que é fácil de usar, mesmo não tendo interface em português), informe onde suas músicas estão armazenadas e ajuste a precisão com a qual você deseja fazer a pesquisa. Feito isso, elimine as repetições e torne a verificar as condições do disco.
Se, ainda assim, o espaço lhe parecer insuficiente, grave suas músicas em CDs e apague os arquivos originais do HD (o mesmo se aplica a fotos, vídeos e clipes). Ao final, reorganize suas pastas e desfragmente o disco rígido (caso não saiba como fazer isso, digite a palavra-chave “defrag” no campo Pesquisar Blog, no canto superior direito da página).

Boa sorte e até mais ler.
Postar um comentário