terça-feira, 1 de abril de 2008

Pixels defeituosos

Fuçando aqui nos meus alfarrábios, encontrei uma matéria publicada na saudosa PC Turbo (ed. Escala), onde abordei detalhadamente o subsistema de vídeo dos PCs. Vale mencionar que, naquela época (pouco depois da "virada" do século), os monitores de tubo reinavam quase que absolutos - modelos LCD eram artigos de luxo, acessíveis apenas a uns poucos usuários mais bem aquinhoados. Entretanto, embora o plasma e a emissão de campo participassem ativamente da disputa, já se podia prever que o LCD iria substituir, no médio prazo, os volumosos monitores CRT. E não deu outra.
Mais finas, leves, econômicas e elegantes, as telas de cristal líquido caíram de preço e ganharam rapidamente a preferência dos consumidores (veja mais detalhes sobre monitores de vídeo nos posts publicados no final de janeiro e início de fevereiro de 2007). Mas como nada é perfeito, essa tecnologia nos trouxe alguns probleminhas que não afetavam os monitores tradicionais.
Então, para não chegar em casa e ter a desgradável supresa de ver que seu LCD tem pixels defeituosos, só saque o poderoso talão de cheques ou cartão de crédito depois que o vendedor testar o aparelho na loja (caso contrário, é quase certo que você não conseguirá efetuar a troca). E reze para o defeito não se manifestar após algum tempo de uso: a maioria dos fabricantes considera normal (?!) a existência de alguns pixels problemáticos em seus produtos, e a peça só será substituída em garantia se apresentar uma certa quantidade desses pontos (entre três e 10, dependendo da proximidade entre eles).
Pixels mortos - ou "Dead Pixels" - são pontos que não possuem luminosidade. Você pode identificá-los facilmente em telas brancas (devido à ausência da luz), onde eles aparecem como minúsculos pontos pretos. Todavia, existem também pixels defeituosos que não estão realmente mortos; apenas não se comportem da maneira esperada. Eles podem ficar permanentemente ligados (resultando num pequeno ponto branco visível em telas escuras), desligados (quando se assemelham com os pixels mortos), ou "presos" numa determinada cor (vermelha, verde ou azul).
Assim, caso de seu monitor tenha pixels presos, você pode tentar desprendê-los utilizando uma imagem que alterne cores rapidamente. O site killdeadpixel (http://killdeadpixel.com/) oferece os recursos e as instruções necessárias para tando, bastando acessá-lo, posicionar a imagem no local da tela onde o pixel preso aparece e deixá-la ali por cerca 1 hora. Se isso não funcionar, use a versão full screen da imagem e deixe o barco correr por umas 12 horas (não há garantias de que a coisa dará certo, mas eu acho que a tentativa é válida).

Em tempo: Primeiro de abril passou a ser considerado o "dia da mentira" depois que Carlos IX, rei de França, determinou que o início do ano se desse no dia primeiro de janeiro (até então, o ano começava em primeiro de abril). A confusão foi geral, pois ainda não havia rádio, televisão, nem mesmo o jornal - e por conta disso surgiram brincadeiras (que os franceses denominavam de plaisanteries) em todo o mundo, como a da carta que se mandava por um portador, na qual se lia o seguinte: "Hoje é primeiro de abril. Mande este burro pra onde ele quiser ir".

Tenham todos um bom dia.
Postar um comentário