sexta-feira, 16 de maio de 2008

RAID e humor de sexta-feira

Devido à questão apresentada pelo Leo e à pergunta deixada anonimamente na postagem do último dia 13, achei por bem incluir aqui algumas linhas sobre o RAID (sigla de Redundant Array of Independent Disks, ou configuração redundante de discos independentes).
Trata-se de uma tecnologia empregada há tempos - e em larga escala - em servidores, geralmente com HDs do padrão SCSI, mas que também pode ser implementada com discos IDE/ATA e drives SATA, desde que a placa-mãe ofereça o necessário suporte.
O principal objetivo do RAID é a redundância, ou seja, a repetição da informação em dois ou mais discos - de forma que, se um deles apresentar defeito físico, o sistema continua funcionando com as informações "de reserva" armazenada no(s) outro(s).
Existem várias formas de ligar discos em RAID (0, 1, 0+1, 2, 3, e assim por diante). No modo zero, o objetivo é aumentar o desempenho: dois HDs de 120 GB cada, por exemplo, ligados em RAID 0, são enxergados pelo sistema como um único disco de 240 GB. Já no modo 1, o sistema irá enxergar apenas um disco de 120 GB - mas, se um dos discos falhar, o segundo fornecerá as informações necessárias para o computador continuar funcionando normalmente.
Note que é possível usar discos SATA sem operar em RAID. Com placas-mãe que não oferecem o recurso, as interfaces SATA funcionam automaticamente; já quando a placa oferece RAID nativo, o integrador precisa desabilitá-lo via Setup (através do comando RAID BIOS).
Quanto à "história do disco dinâmico" do Leo, a Microsoft informa que o Windows suporta dois tipos de configuração de HDs, sendo que os discos básicos (utilizados na maioria dos PCs) são mais fáceis de gerenciar, embora os dinâmicos permitam aumentar o desempenho ou a confiabilidade do sistema. No primeiro caso, são criadas partições primárias, expandidas e unidades lógicas para organizar os dados; no segundo, um grande número de volumes dinâmicos (aproximadamente 2000) faz o papel das partições.
Algumas versões do Windows permitem combinar discos dinâmicos separados num único volume dinâmico (expansão), dividir dados entre vários discos rígidos (repartição) para maior desempenho, ou duplicar dados entre vários discos rígidos (espelhamento) para maior confiabilidade. O Vista Ultimate e Enterprise suportam a expansão e repartição de discos dinâmicos, mas não o espelhamento.
A propósito: como já disse na resposta que ofereci ao anônimo, nunca integrei ou utilizei um PC com discos em RAID, de modo que não tenho familiaridade com essa tecnologia (até porque é raro ela ser utilizada no âmbito da computação doméstica). Para quem se interessar em conhecer mais detalhes sobre o assunto, vale lembrar que a internet é um manancial de informações - vivendo e aprendendo, né?

Passemos agora à nossa tradicional piadinha de sexta-feira;

Três mulheres (uma noiva, uma amante e uma casada) combinaram testar o poder de sedução que exerciam sobre seus companheiros e se encontraram dias depois para trocar experiências. Disse a noiva:
- Quando meu namorado me viu usando o corpete de couro, botas de saltos 15 e máscara, o tesão foi indescritível. Fizemos amor a noite inteira.
Disse a amante:
- Ah, comigo foi parecido. Procurei meu amante no escritório usando um corpete de couro, saltos altíssimos, máscara e... mais nada! Quando abri a capa, ele me agarrou e tivemos uma noite de sexo tórrido.
E a casada:
- Mandei as crianças para a casa da avó, vesti um corpete de couro, super saltos e máscara. Caprichei no perfume, passei batom vermelho e completei o visual com uma lingerie preta. Quando meu marido chegou e me viu em pé, no meio da sala, fazendo caras e bocas, ele disse: "E aí, Batman, o que vai ter para o jantar?"


Bom final de semana a todos.
Postar um comentário