sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Call Centers e Humor de sexta-feira

Surge uma luz no fim do túnel (ou será o trem?) para aqueles que não agüentam mais ouvir musiquinhas, mensagens publicitárias ou frases do tipo "aguarde mais alguns instantes que iremos atendê-lo", ou "sua ligação é muito importante para nós".
O Ministério da Justiça decidiu pegar pesado em relação ao atendimento dos call centers, e todos os serviços regulados - tais como energia elétrica, telefonia, TV por assinatura, planos de saúde, aviação civil, empresas de ônibus, Bancos e operadoras de cartão de crédito - deverão limitar a espera dos usuários na linha a, no máximo, um minuto (os Bancos podem demorar até 90 segundos para atender os clientes em datas "atípicas", como numa segunda-feira após feriado prolongado, por exemplo).
Ao pedir o cancelamento de um serviço, o usuário deve ser prontamente atendido (e não enviado a serviços de retenção ou a departamentos que tentam convencê-lo a manter seu contrato), e as empresas devem disponibilizar um único número de telefone para resolver todas as queixas (e não pedir ao cliente que ligue para outro número, conforme o tipo de solicitação que ele fizer), bem como criar um registro com o histórico de pedidos do cliente (evitando que ele seja obrigado a contar seu problema inúmeras vezes para diferentes atendentes). O prazo máximo para responder aos pedidos será de cinco dias úteis e, caso solicitadas, as empresas deverão enviar uma cópia por escrito da reclamação (que pode ser por carta ou por e-mail).
A nova lei entra em vigor no próximo dia primeiro, e quem desobedecê-la poderá receber multas cujos valores vão de R$ 200 a R$ 3 milhões.

***
O casal já estava deitado, pronto para dormir, quando a mulher dispara:
- Se eu morresse você casava outra vez?
E o marido responde:
- Claro que não!
- Não?! Não por quê?! Não gosta de estar casado?
- Claro que gosto!
- Então por que é que não casava de novo?
- Está bem, casava…
- Casava? (olhar magoado).
- Casava. Só porque foi bom com você…
- E dormiria com ela na nossa cama?
- Onde é que você queria que nós dormíssemos?
- E substituiria as minhas fotografias por fotografias dela?
- É natural…
- E ela iria usar o meu carro?
- Não, ela não dirige…
(silêncio por parte da mulher)
(marido, em pensamento: Ferrou !!!).

MORAL DA HISTÓRIA: JAMAIS prolongue um assunto com uma mulher… Abane a cabeça, concordando, ou diga apenas “A-HAM” ou “HUM-HUM”.
Bom fim de semana.
Postar um comentário