terça-feira, 23 de junho de 2009

TRUST NO ONE!

Ainda no assunto da postagem anterior, o título da atual – “confie em ninguém”, numa tradução literal –, além de ser o nome do primeiro trabalho solo de Dave Navarro (que foi o guitarrista do Jane's Addiction e do Red Hot Chili Peppers), consubstancia uma regrinha tão elementar quanto essencial no âmbito virtual. E ainda que pareça paranóia, há casos em que não podemos confiar nem em nós mesmos!
Vejam vocês que eu recebi um e-mail no qual meu endereço do Terra constava tanto no campo “De:” quanto no campo “Para:” – fato curioso, considerando que as contas que utilizo regularmente estão todas cadastradas no Outlook Express, e eu raramente reencaminho mensagens para mim mesmo (quando o faço, elas geralmente trazem como remetente o meu endereço do Hotmail, que eu acesso via webmail). Como eu tinha outras coisas para resolver, deletei a tal mensagem e deixei para rever o assunto posteriormente, mas acabei esvaziando pasta “itens excluídos” e o e-mail se perdeu.
Enfim, só estou mencionando esse fato para reforçar a importância de se tomar cuidado com mensagens suspeitas, links duvidosos e arquivos que vêm como anexos de e-mail ou são oferecidos em bate-papos no MSN, por exemplo, ainda que a origem possa parecer legítima.

Observação: Cybercriminosos costumam distribuir malwares enviando arquivos ou links para fotos e/ou vídeos capazes de despertar a curiosidade das vítimas, de modo que convém sempre atentar para as extensões: imagens geralmente são .jpg, .gif ou .png (portanto, desconfie se você receber uma foto com extensão .cmd ou .exe, por exemplo); já os vídeos costumam vir como .avi, .mpeg, .wmv, embora também possam ser arquivos .swf ou .exe (aí o cuidado deve ser redobrado). Note, porém, que essa regrinha não é infalível, já que existem programinhas capazes de introduzir códigos executáveis dentro de imagens e vídeos (exploits), sem falar no grande número de webpages pra lá de suspeitas que parecem legítimas e inocentes.

Infelizmente, nossa privacidade é constantemente posta em risco por internautas relapsos que não utilizam o recurso da cópia oculta e insistem em reencaminhar mensagens sem antes apagar os endereços eletrônicos dos destinatários anteriores, alimentando os spammers e oferecendo elementos para pessoas mal-intencionadas distribuírem pragas passando-se por remetentes conhecidos e/ou confiáveis.
Barbas de molho!
Postar um comentário