quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo!

Do ponto de vista do abuso do álcool, talvez o Réveillon só perca para o Carnaval – e olhe lá. E para quem não dispensa uma(s) birita(s), a ressaca pode ser cruel, devido à dor de cabeça, boca seca, fadiga, tremores, mal estar e outros sintomas que o corpo apresenta após metabolizar o álcool (ou seja, quando os níveis de álcool nos tecidos são reduzidos, daí a crença de que tomar outro porre é a melhor solução para o problema).
Segundo algumas fontes, bebidas compostas principalmente por água e álcool (tais como vodka e gim), produzem menos ressaca do que whisky, conhaque ou vinho tinto, por exemplo – mesmo assim, atente para a qualidade do produto, pois algumas marcas baratas têm cheiro e gosto de acetona. Dizem os engraçadinhos (embora com muita propriedade) que a melhor maneira de evitar a ressaca é não ingerir bebida alcoólica, mas, na prática, essa preciosa recomendação não costuma ser seguida por muita gente. Então, para evitar o vexame do pileque e minimizar o desconforto da ressaca, além de beber moderadamente, convém não fazê-lo “de barriga vazia”, já que e o álcool é absorvido mais lentamente quando existe alimento no estômago (só tome cuidado para não errar na quantidade, ou você irá colocar tudo para fora no meio da festa).
Vale ainda intercalar suco, refrigerante, ou mesmo água entre as doses de birita, não só para “diluir” o álcool, mas também para manter o organismo hidratado; segundo alguns “especialistas”, comer frutas ou algo gorduroso antes de beber ajuda muito (há quem recomende comer miolo de pão besuntado com manteiga ou embebido em azeite de oliva).
A verdade é que não existem formulas milagrosas universais: a não ser que você entre em coma alcoólica – quando deverá procurar um pronto-socorro –, o jeito é deixar o corpo processar naturalmente – ou regurgitar – o excesso de álcool que absorveu. Nesse entretempo, evite comidas ácidas, gordurosas ou de difícil digestão; torradas com mel ou geléia no café da manhã e uma sopa ou salada de legumes cozidos no almoço devem deixar você pronto pra outra.
Para finalizar, torno a lembrar que ressaca não se cura com mais álcool. Essa prática pode até ajudar a combater os sintomas no curto prazo – e servir de desculpa para tomais mais uma birita ao acordar, mesmo que você não esteja de ressaca. Todavia, mais hora, menos hora, o nível de álcool no seu organismo vai ter que baixar.

Para os que me acompanharam durante mais este ano, para os que estão chegando agora, e para os que ainda vão chegar, desejo um Feliz 2010, com muita paz, saúde, prosperidade e toda a felicidade do mundo.
Até o ano que vem, se Deus quiser - e Ele há de querer.
Postar um comentário