segunda-feira, 31 de maio de 2010

Google

Talvez você já tenha ouvido dizer que o Google grava cada termo de busca digitado em sua caixa de pesquisa, mas provavelmente não parou pra pensar que essas informações podem representar uma séria ameaça à sua privacidade. Conforme você utiliza os diversos serviços da empresa, seus hábitos, interesses e atividades vão sendo armazenados em seus servidores, que não são exatamente inexpugnáveis (seus mecanismos de defesa são fortes o bastante para prevenir as ameaças mais comuns, mas um invasor determinado que conseguir invadir sua conta poderá acessar tudo o que você confiou à empresa). Isso sem mencionar que essas informações podem ser eventualmente requisitadas por agentes do governo, policiais ou advogados (mediante intimação judicial).


Observação: Invadir o Google pode ser difícil, mas a conta particular de um usuário que utilize senhas fracas é sopa no mel para um cracker moderadamente experiente (para mais detalhes, clique  aqui).

O Google afirma que armazena esses dados para aprimorar seus algoritmos de busca e determinar padrões mais amplos para a página Google Trends, e que os cookies e os últimos três dígitos dos endereços de IP associados às buscas são apagados regulamente. Entretanto, a prudência recomenda tomar cuidados adicionais para prevenir que informações potencialmente perigosas caiam em mãos erradas (afinal, seguro morreu de velho).
Caso você ache interessante manter o Histórico da Web associado à sua conta e apagar somente as buscas mais “delicadas”, acesse seu histórico (em Meus Produtos, na sua página de Contas), clique em "Remover Itens", selecione aqueles que você deseja apagar e clique em Remover. Se preferir, faça uma faxina em regra clicando em “Limpar o Histórico da Web inteiro”, no pé da página. Já se quiser adotar uma providência mais radical, desabilite o Histórico da Web: no canto superior direito da página do Google, clique em Configurações de Pesquisa > Configurações da Conta > Editar (à frente de Meus Produtos, no lado esquerdo da página) e em “Remover histórico da web permanentemente” (se essa opção não estiver visível, é porque você nunca ativou o Histórico da Web). Isso fará com que o serviço seja desligado e apagará todos os dados específicos ligados à sua conta.

Observação: Lembre-se sempre de fazer logoff antes de realizar suas buscas; se você estiver logado, seu endereço de e-mail será exibido no canto superior direito da página inicial da Google, das páginas de resultado ou de qualquer página da Google em que você estiver. Note, porém que o logoff evita a associação direta entre você e suas buscas, mas não a associação entre seu endereço de IP e outras informações. Para prevenir isso, torne sua navegação anônima usando ferramentas como Tor, Anonymizer, ou a extensão PhZilla para Firefox.

No que concerne aos cookies, o Google os utiliza para armazenar o status de login dos usuários para vários serviços – você não precisa se identificar no Google Agenda se já estiver usando o Gmail, por exemplo –, mas isso resulta num rastro de logins que pode ser acessado tanto pelos servidores da Google quanto no seu disco rígido. Demais disso, o serviço de anúncios Doubleclick usa os cookies para rastrear sua navegação pelos sites, e essa informação, combinada com o login, pode identificar exatamente quais sites você visitou.
Para minimizar eventuais problemas, configure seu navegador para rejeitar cookies de terceiros – isto é, cookies de outros sites além daquele que você esteja visitando –, já que esse ajuste elevará seu nível de privacidade sem provocar quaisquer efeitos colaterais na maioria dos sites que você visita. Note, porém, que essa medida não apagará os cookies já instalados, mas você pode usar as configurações de segurança do browser para eliminar todos eles ou pesquisar um a um e escolher os que deseja manter. Outra opção recomendável (embora não infalível, infelizmente) é usar a “navegação privada” oferecida pela maioria dos navegadores (tais como as versões mais recentes do IE, Firefox, Safari, Opera e Chrome), que apaga os cookies e as senhas e limpa o histórico e o cache ao final de cada sessão de navegação.

Observação: Se você ainda está usando o IE 6, atualize-o imediatamente. De acordo com a empresa de segurança Secunia, essa versão tem 24 vulnerabilidades sem solução, muito mais que qualquer outro navegador em uso atualmente. Foi uma falha no IE6 que permitiu a brecha na rede do Google, em dezembro de 2009.

Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário