sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pontos a ponderar, eleições e humor de sexta-feira

O preço do Big Mac – sanduíche produzido de maneira similar e com os mesmos ingredientes nos 120 países onde é vendido – vem servindo há décadas como indicador do nível de valorização das diversas moedas em relação ao dólar. Atualmente, o Brasil está em segundo lugar no ranking (US$ 5,26), perdendo apenas para a Suíça (US$ 6,78). A título de curiosidade, os menores preços são praticados na China (US$ 2,18), Malásia (US$ 2,25) e Rússia (US$ 2,39). É certo que grande parte da popularidade do nosso “cacique” se deve à melhoria da qualidade de vida das classes menos favorecidas, mas ainda temos muito chão pela frente se quisermos que nosso poder aquisitivo ombreie com o dos norte-americanos ou europeus da zona do Euro (que pagam US$ 3,71 e US$ 4,79 pelo Big Mac, respectivamente). Aliás, um iPhone 4-16GB custa, nos EUA, seis vezes menos do que no Brasil, e uma bolsa Luiz Vuitton, na Inglaterra, metade do que custa em terra brasilis.
É curioso como determinados bens de consumo mexem com a cabeça dos consumidores. Dias atrás, encontrei uma conhecida no estacionamento do Shopping Iguatemi (o mais tradicional de São Paulo e, se não me engano, o único que tem uma loja oficial da grife Christian Louboutin). Equilibrando-se com alguma dificuldade nos saltos de 15 cm do modelito – que lhe havia custado R$ 3.000, segundo ela me confidenciou, exibindo um sorriso de orelha a orelha – a moça saiu com seu carrinho popular, de uns 10 anos de uso e pneus lisos como bunda de recém-nascido.
Fiquei pensando que, com menos de 1/3 do preço do calçado (muito elegante, sem dúvida alguma), seria possível trocar os quatro pneus do carro – e ainda sobraria troco para balancear as rodas, alinhar a direção e tomar um belo sorvete. Questões de prioridade, evidentemente.
Só pra complementar, vale lembrar que já se foi o tempo em que a vida era bem mais barata no Brasil do que nos EUA ou na Europa. Estudos dão conta de que, atualmente, morar em São Paulo sai mais caro do que em Londres, Berlin, Roma ou na maioria das metrópoles de países emergentes.

Como se isso não bastasse, o paulistano gasta quase cinco vezes mais do que os habitantes das demais cidades brasileiras para ficar em dia com os impostos. Segundo dados da ONG Transparência Municipal, referentes ao ano passado, a arrecadação (ISS, IPTU, ITBI e demais taxas) na capital paulista atingiu a marca dos R$ 10 BILHÕES – contra R$ 16 milhões, em média, nos demais municípios paulistas, e R$ 8 milhões (também em média), no restante das cidades do País.
Seria o caso de aupurar o destino de toda essa dinheirama. A legislação determina que 15% da arrecadação total sejam gastos com saúde, 31% com educação e 13% com dívida pública. Na prática, todavia, parece que a teoria é bem outra.

Passemos agora ao nosso tradicional humor de sexta-feira (humor negro, mas enfim):

Virei casaca... Agora estou ao lado de LULA

Refletindo sobre o efeito do nada, me dei conta de que o Brasil é o único país do mundo governado por um alcoólatra que instituiu uma lei seca, um analfabeto que assinou uma reforma ortográfica, que tem um filho que, do nada, se tornou um "gênio das finanças", e que teve a cara de pau de pedir a Deus para dar INTELIGÊNCIA a Barack Obama , que é formado em Harvard.
Depois disso, EU TINHA QUE MUDAR DE LADO.
Resolvi ficar ao lado de Lula (afinal, se ficar atrás, ele caga, e se ficar na frente, ele fode) e esperar que tudo volte ao normal um dia, quando ARRUDA será uma simples plantinha pra espantar mau-olhado; GENUÍNO será algo verdadeiro; GENRO, apenas o marido da filha; SEVERINO, apenas o porteiro do prédio; FREUD, só Pai da Psicanálise; LORENZETTI, só uma marca de chuveiro; GREENHALGH, apenas um almirante que participou de nossa história e Dirceu, Palloci, Delúbio, Silvio Pereira, Berzoini,Gedimar, Valdebran, Bargas, Expedito Veloso, Gushiken e Renan, simples presidiários. E LULA, APENAS UM FRUTO DO MAR.
Quando olho meu título de eleitor, velhinho coitado, e penso no Lula aliado ao Collor e na defesa da vida ilibada da "famiglia Sarney", entendo o verdadeiro significado de ZONA eleitoral que está escrito nele!
Votem com consciência e tenham um bom "feriadão".
Até quarta-feira, se Deus quiser.
Postar um comentário