sexta-feira, 9 de setembro de 2011

E-mail da hora, aniversário do Blog e humor...

Por ser mais prático e eficiente que o serviço postal convencional, o e-mail desbancou o obsoleto fax e se tornou extremamente popular, especialmente depois que passou a permitir o envio de arquivos em anexo.
De início, os provedores ofereciam espaços miseráveis para nossas caixas postais, levando-nos a recorrer a programas clientes como o Outlook e o Outlook Express, mas a coisa começou a mudar em 2004, quando o Google criou o Gmail, que concedia inicialmente 1 GB de espaço gratuito. Atualmente, com espaço quase que ilimitado, os provedores nos permitem guardar toneladas de mensagens sem comprometer o ingresso de novos e-mails, conquanto isso não nos desobrigue de "dar uma geral", de tempos em tempos, para excluir aquilo que já foi lido (e se não foi, talvez já nem faça mais sentido manter), além das miríades de spam.
Usando o Gmail como exemplo, comece a “arrumar a casa” apagando o spam. Basta localizar a pasta respectiva na coluna à esquerda, abri-a, selecionar os itens indesejados e clicar no botão Excluir definitivamente.
Para identificar as mensagens mais “pesadas”,  pesquise no campo de busca do serviço com o operador filename: seguido da extensão dos arquivos mais “gulosos” (.PPS, .WMV, .MP3, e por aí vai).
Usando o operador before:, você encontrará mensagens antigas e poderá excluir as que não servem mais para nada (por exemplo, “before:2008/10/10”), e se digitar “has:attachment before:2008/10/10”, matará dois coelhos com uma só cajadada (isso implicará na exibição de mensagens antigas com anexos volumosos).
Já para varrer e-mails reencaminhados (correntes, piadinhas e coisas afins), digite subject: seguido de Fw (subject:Fw), e como geralmente não faz sentido guardar as mensagens temporárias que o serviço salva automaticamente em Rascunhos, abra a pasta em questão e apague tudo que for supérfluo.
Ao final, faça o mesmo com a pasta Enviados e esvazie também a Lixeira.

Nosso Blog completa hoje seu quinto aniversário – algo surpreendente, considerando que minha idéia era tirá-lo do ar tão logo a edição Blogs & Websites da Coleção Guia Fácil Informática ficasse pronta.
Conforme já mencionei em outras oportunidades, a atenção e o carinho de alguns leitores me estimularam a levá-lo adiante, e aqui estamos nós, cinco anos depois, com cerca de 1.400 postagens, 96 seguidores (ops, de ontem para cá, baixamos para 94) e quase 3.800 visualizações do meu perfil completo (ainda que não sejam expressivos, esses números não deixam de ser alvissareiros, pois no aniversário passado eram pouco mais de 60 seguidores e 2.600 visualizações de perfil).
Visitantes vão e vêm, é verdade... Alguns acompanham os posts por meses a fio, deixando comentários em quase todos eles, e num belo dia desaparecem como fumaça; outros ressurgem depois de meses (ou anos), e daí tornam a sumir do mapa (ou pelo menos da seção de comentários). Particularmente, tenho minhas reservas em relação a estatísticas e coisa e tal – afinal, ninguém com a cabeça no forno e os pés no freezer se sente confortável, mesmo que, na média, a temperatura possa ser considerada agradável –, mas as informações fornecidas pelo Blogger dão conta de que as visualizações de páginas vêm crescendo, ainda que lenta e gradualmente. Enfim, agradeço a atenção de todos que por aqui passaram nestes cinco anos e espero ter novo balanço positivo a comemorar no próximo aniversário.
E como o bolo, o champagne e a picanha são meramente virtuais, querendo, clique e ouça:



Passemos ao nosso tradicional humor de sexta-feira:

O Papa veio ao Brasil em missão não oficial, e Negão, o melhor motorista da Sé, o aguardava.
Negão não passava dos 80 Km/h, e o Papa pedia:
- Negón, piú veloce, per favore.
- Santidade, não posso. Dá multa. Desmoraliza a Sé.
O Papa, impaciente:
- Negón, passe a qui, per favore. Dammi l'auto.
O Negão ficou no banco de trás e o próprio Papa foi levando o carro, agora a 150 km/h. À frente, um policial rodoviário os interceptou, mas quando viu quem era, passou um rádio para chefe e sussurrou discretamente:
- Chefe, peguei um cara importante voando na Dutra. Não sei o que fazer!
- Um deputado?
- Não chefe, é mais importante.
- É um senador?
- Não chefe, é mais importante ainda.
- O presidente?
- É mais importante que o próprio presidente, chefe...
- Puxa, então só pode ser o Papa!
- Que nada chefe, o Papa é apenas o motorista, acho que é São Benedito!

Bom final de semana a todos e até mais ler.
Postar um comentário