quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

FUJISTSU F-SERIES, o CELULAR da INFIDELIDADE


Ao atender a primeira chamada no celular, Joaquim esbravejou: – Raios, Maria, como tu descobriste que eu estava cá no motel?

Não sei se a Maria esperou o pobre do Joaquim com o rolo de macarrão em riste, mas sei do que é capaz um cônjuge motivado pelo “monstro de olhos verdes”. Para os ciumentos doentios, o mais tênue cheiro de fumaça prenuncia incêndios homéricos. Com sua insegurança patológica, esses infelizes infernizam seus parceiros farejando suas roucas com a competência de um perdigueiro e rastreando seus emails, telefonemas e mensagens de texto com a argúcia de um CSI.
Na impossibilidade de inibir essa desconfiança mórbida, resta às vítimas “que têm culpa no cartório” evitar deixar vestígios de seu comportamento “inadequado”, o que nem sempre é uma tarefa fácil. No entanto, a sabedoria milenar dos orientais levou a FUJITSU a desenvolver o telefone celular F-SERIES, que é conhecido como o celular da infidelidade.
Lançado em 2002, o aparelhinho está tecnologicamente ultrapassado, mas continua popular até hoje devido ao "modo privacidade", que dá conta do recebimento de chamadas e mensagens de números pré-definidos mediante uma sutil mudança na cor dos indicadores de nível de bateria e sinal da antena. Assim, os abelhudos de plantão não desconfiam da existência de qualquer conteúdo oculto (que o usuário legítimo pode acessá-lo a qualquer tempo mediante a inserção de um código secreto).
É mole ou quer mais?
Postar um comentário