quarta-feira, 27 de março de 2013

AINDA O GOOGLE...


Prosseguindo com o que vimos no post anterior, o que nasceu como motor de busca vem crescendo como Oráculo e tornando seu campo de pesquisa mais intuitivo e fácil de usar, dispensando cada vez mais variáveis (por vezes difíceis de memorizar) que, até algum tempo atrás, eram indispensáveis para forçar resultados específicos.
Embora ainda não seja possível estabelecer um bate-papo com o buscador, você não precisa recorrer à calculadora para fazer contas relativamente simples: basta informar o enunciado ao Google, como em 127 + 512, por exemplo, e teclar Enter (para subtrair, use “-“; para dividir, use “/”; para multiplicar, use “x” ou “*”).
Por ser polivalente, o Google substitui com vantagens a maioria dos dicionários convencionais. Para conferir, digite um termo qualquer na caixa de pesquisa (prolixo, por exemplo), tecle Enter e veja que, além de uma definição concisa (geralmente fornecida pela Wikipédia), há uma série de links para sites de referência. Quer descobrir o termo oposto ao pesquisado? Digite prolixo antônimo. Quer traduzir uma palavra de (ou para) o inglês, italiano ou qualquer outro idioma? Escreva traduzir spring para português ou traduzir cão para inglês, por exemplo.
Note que isso é somente a ponta do iceberg. Fuçando, você descobrirá coisas surpreendentes (escreva, por exemplo, qual a resposta para a vida, o universo e tudo o mais? e veja o resultado).
Para concluir, vale lembrar que alguns DOODLES (aqueles logotipos que ilustram a página inicial do Google e mudam quase todos os dias) são interativos, como o que comemorou os 30 anos do jogo PAC MAN (clique em insert coin para jogar ou nas setas para ver outras edições).
Um ótimo dia a todos.   
Postar um comentário