quinta-feira, 24 de outubro de 2013

MSCONFIG DO WINDOWS 7 E ALTERNATIVAS PARA RECONFIGURAR A INICIALIZAÇÃO

Dinheiro não traz felicidade. Manda buscar.

Enquanto o Win 95 exigia menos de 100 MB de espaço livre para ser instalado, o Seven requer 20 GB, o que dá uma boa ideia de como o sistema “inchou” com o passar do tempo, e embora qualquer PC atual dê de lavada nos modelos “top” da década de 90, isso não muda o fato de que o aumento descomedido das exigências dos softwares atuais “vem tornando a carroça cada vez mais difícil de ser puxada”.
Se seu PC tem mais de seis meses de idade, revise a lista dos aplicativos e elimine tudo aquilo de que você não precisa ou que não usa mais (para mais detalhes, clique aqui).

Observação: Seja seletivo ao instalar freewares. Sempre que possível, recorra a serviços online, sobretudo para tarefas esporádicas; se não houver alternativa, acompanhe atentamente a instalação para desabilitar em tempo hábil as indesejáveis barras de ferramenta para o browser, que geralmente sequestram sua página inicial e alteram seu mecanismo de pesquisa.

Removido o crapware, identifique os demais aplicativos que pegam carona com o Windows:

1.     Tecle Windows+R, digite msconfig e dê Enter.
2.     Na tela do Utilitário de Configuração do Sistema, abra a guia Inicialização de Programas.
3.     Cheque a lista que exibe os aplicativos convocados durante a inicialização (acompanhados do nome dos fornecedores, do caminho para os executáveis e do atalho ou chave do Registro que os faz inicializar) e desmarque tudo aquilo de que você não precisa.

Observação: Seu antivírus e firewall devem ficar em estado de alerta permanente, mas programinhas como o Adobe Reader, o iTunes, o Windows Media Player e congêneres devem ser chamados somente se e quando se fizerem necessários (do contrário seria como deixar o chuveiro ligado ininterruptamente para que a água esteja quente quando você for tomar um banho).

Segundo a Microsoft, o “msconfig” se destina a auxiliar os usuários na solução de problemas com a inicialização do Windows (consulte os tópicos da ajuda para mais informações), mas como muitos desenvolvedores não oferecem meios de ativar/desativar a inicialização automática de seus softwares, ele acaba servindo como Gerenciador de Inicialização. Claro que é mais fácil e seguro fazer ajustes dessa natureza com o Gerenciador de Inicialização do Advanced System Care, o Startup Optimizer do System Mechanic ou o Solutodentre tantos outros programinhas mais intuitivos e pródigos em informações sobre aquilo que você tenciona desativar. Para obter mais detalhes sobre entradas indecifráveis, faça uma pesquisa no Pacman’s Portal, que lista mais de 35.000 itens).

Observação: Jamais deixe de criar um ponto de restauração antes de fazer qualquer modificação abrangente no sistema (para saber mais, clique aqui).
Por uma questão de coerência com o fulcro desta sequência, vou deixar para detalhar as demais guias do Utilitário de Configuração do Sistema em outra oportunidade.

Amanhã tem mais, pessoal Abraços e até lá.
Postar um comentário