sexta-feira, 25 de outubro de 2013

WINDOWS 7 - CONSOLE DE SERVIÇOS - HUMOR DE SEXTA-FEIRA

Já fui pobre e já fui rico, e sei que ser rico é melhor.

Conforme dito anteriormente, serviços são programinhas destinados a auxiliar o Windows na execução de uma vasta gama de tarefas. Para tanto, eles são carregados durante a inicialização e permanecem rodando em segundo plano até o final da sessão. E como sua configuração padrão visa contemplar usuários dos mais variados perfis, é provável que você, eu e mais um bocado de gente possa desativar boa parte deles e continuar operando o PC sem problema algum – inclusive com vantagens, já que isso reflete positivamente no tempo de boot e no desempenho global do sistema.
Embora guia Serviços do MSCONFIG (vide post anterior) permita ativar e desativar esses programinhas, a Microsoft recomenda utilizá-la apenas para identificar e resolver problemas de inicialização. Para outros propósitos, o indicado é recorrer ao Console de Serviços do Windows, que é mais pródigo em recursos e informações. Para convocá-lo, digite serviços no campo de pesquisas do menu Iniciar do Seven e pressione Enter.
A tela que se abre em seguida apresenta, em cinco colunas (que você pode configurar via menu Exibir>Adicionar/Remover colunas), o nome, uma descrição resumida, o status, o tipo de inicialização e o tipo de logon dos serviços disponíveis, estejam eles carregados ou não (inicializados ou em branco na coluna Status). Na maioria dos serviços, a coluna Fazer Logon como exibe a informação “Sistema Local”, indicando que eles foram convocados pelo próprio sistema operacional e por isso costumam rodar com todos os privilégios habilitados, o que propicia a ação da bandidagem digital, como no caso dos worms Sasser e Blaster, que ficaram famosos na década passada. Mas isso é uma história que fica para outra vez.
Dando um clique direito sobre cada item, você pode visualizar as opções oferecidas no menu suspenso, e selecionando Propriedades, explorar as quatro guias disponíveis para obter ainda mais informações.
Note que, em Tipo de inicialização, Automático e Automático (atraso na inicialização) são coisas diferentes: a primeira opção conovoca o serviço assim que o Windows é inicializado, ao passo que a segunda retarda o processo por um tempo pré-definido, visando agilizar o boot. Já na opção Manual o serviço é iniciado e parado por iniciativa do sistema ou demanda do usuário, ao passo que, em Desativado, ele nunca roda.
Muitos serviços são de grande utilidade para alguns usuários e totalmente inúteis para outros, mas ainda assim consomem recursos que poderiam ser canalizados para outras tarefas. Note que é preciso muito cuidado para separar o joio do trigo e, para piorar, diferente do que ocorre em relação à limpeza de arquivos inúteis, desfragmentação de disco e outras tarefas que tais, não existem - pelo menos que eu saiba -  freewares destinados a automatizar o gerenciamento dos serviços, já que cada usuário tem seu perfil e o contexto muda se, por exemplo, o PC está interligado a uma rede, se compartilha arquivos e impressoras, e por aí vai. Isso sem mencionar que alguns serviços são interdependentes, e podem deixar de funcionar mesmo que somente um deles seja desativado.

Observação: Lembre-se disso na hora em que for trocar seu PC. Optar por um modelo com a versão Ultimate do Windows apenas para fazer inveja àquele seu cunhado metido à besta pode fazer o feitiço virar contra o feiticeiro.  

Antes de parar um serviço ou modificar sua modalidade de inicialização, não deixe de criar um ponto de restauração do sistema. Evite reconfigurar o Logon dos itens que são iniciados automaticamente e alterar a opção Permitir que o serviço interaja com a área de trabalho. Se você fizer alterações e encontrar
um problema ao iniciar o computador, reinicie-o no modo de segurança e então restaure a configuração padrão.
Serviços como Pesquisador de Computadores e FAX, por exemplo, podem ser tranquilamente desativado caso seu PC não faça parte de uma rede e você não receba ou envie fax utilizando recursos do sistema. Mas outros são bastante obscuros, a despeito das informações que você pode obter explorando suas propriedades, de modo que, para fazer os ajustes com conhecimento de causa, faça uma pesquisa minuciosa no site http://www.blackviper.com/.

Passemos agora ao nosso tradicional humor de final de semana. 

Dois fazendeiros, um gaúcho e um argentino, se encontram lá pelas coxilhas e começam a conversar.
O argentino pergunta:
- Qual o tamanho da tua fazenda, gaúcho?
E o gaúcho:
- Pros padrões do Brasil é uma fazenda de bom tamanho. São 300 alqueires. 
- E a tua, tchê?
E o argentino responde:
- Olha... Eu saio da sede pela manhã no meu Jipe e na hora do almoço ainda não cheguei nem na metade dela.
E o gaúcho completa:
- Bah! Eu também já tive um jipe argentino... É uma merda mesmo!

Bom f.d.s. a todos.
Postar um comentário