sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

NATAL, SMARTHONES, TALBLETS E HUMOR DE SEXTA-FEIRA.

CARTEIRA E BOCA A GENTE ABRE COM CAUTELA.

Notebooks – preferencialmente com telas de grandes dimensões e configurações parrudas – podem substituir com vantagens os tradicionais desktops, conforme eu venho cantando em prosa e verso desde a virada do século, quando comprei meus primeiros laptops. No entanto, o mesmo não se aplica a smartphonestablets, que, embora possam ser usados “in itinere”, na fila do ônibus, no táxi ou no avião, são desconfortáveis para a criação de textos longos devido às telas de pequenas dimensões e as limitações dos teclados virtuais. Aliás, por se tratar de aparelhos diferentes, criados para fins diversos e utilização em situações distintas, talvez nem faça sentido compará-los.
Mas a evolução tecnológica é pródiga em contornar obstáculos, e algumas limitações dos tablets podem ser eliminadas com o uso de uma dock que oferece teclado “físico” e bateria auxiliar (só falta um HD para aumentar a capacidade de armazenamento de dados, mas até aí, como dissemos, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa). Esses modelos “híbridos” vêm se tornando bastante populares, embora não raro acabem sendo mais pesados do que alguns ultrabooks. Mesmo assim, não custa dar uma olhada no DELL INSPIRON DUO SWIVEL e no LENOVO THINKPAD TWIST, por exemplo.
Segundo os especialistas, o Apple iPad Air é o melhor tablet do mundo, ainda que o Sony Xperia Tablet Z (à prova d’água como o smartphone da mesma linha) não lhe fique devendo muita coisa. Outras boas opções são o Google Nexus 7 e o Samsung Galaxy Note 10.1 2014.

Em tempo: Podendo, volte na segunda-feira e veja a complementação desta matéria.

PASSEMOS AGORA AO NOSSO TRADICIONAL HUMOR DE SEXTA-FEIRA:

Durante um julgamento, o Juiz pergunta ao acusado:
- O senhor chegou em casa mais cedo e encontrou sua mulher na cama, com outro homem, correto?
- Correto, Meritíssimo! - diz o réu, de cabeça baixa.
Continua o juiz:
- Então o senhor pegou sua arma e matou sua mulher, correto?
- Correto, Meritíssimo!
- E por que o senhor atirou nela, e não no amante dela?
- Por uma questão de sensatez, Meritíssimo. Achei melhor matar uma mulher uma única vez do que um homem diferente a cada dia.
Corno, porém sensato!
Postar um comentário