segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

NORTON 360 E BITDEFENDER A PREÇO DE OCASIÃO - Mais um pouco do perfume do cenário político tupiniquim.


É MUITO TRISTE QUANDO SE É RICO, BONITO E SENSUAL E AÍ VEM O DESPERTADOR E ACABA COM TUDO.

As pragas digitais surgiram bem antes da Internet, mas a popularização desta foi decisiva para a disseminação daquelas (saiba mais relendo a matéria Antivírus - A História).
No entanto, mesmo sabendo que uma quantidade astronômica de malwares se embuça nas “esquinas” da Grande Rede, muitos internautas não se preocupam em criar um arsenal de defesa, mesmo que realizem transações de net banking e façam compras online. Alguns até ativam o pacote de segurança que costuma vir instalado em máquinas de grife, mas são poucos os que renovam a licença ao final do prazo de avaliação, razão pela qual a Microsoft resolveu disponibilizar gratuitamente o Security Essentials, que oferece proteção básica para usuários de cópias oficiais do Windows.
Volto a lembrar ao leitor que basta pesquisar o Blog para encontrar dúzias de sugestões de suítes de segurança, tanto pagas quanto gratuitas, e que, curiosamente, o preço das versões comerciais sofreu uma queda sensível, de uns tempos a esta parte. Como dito na última sexta-feira, uma licença do BullGuard Internet Security válida por um ano para um PC sai por aproximadamente R$ 19,00 (pode haver uma pequena variação no preço devido à cotação da libra esterlina) se você aproveitar o desconto de 70% que o fabricante vem oferecendo (por tempo limitado).
Tudo bem, talvez o BullGuard lhe seja desconhecido, mas não a Symantec e o Norton 360, não é mesmo? Então saiba que esse pacote pode sair por menos de R$ 30 se você dividir o preço da licença com mais dois usuários (ela permite a instalação em até 3 PCs). Ah, o amigo prefere as suítes da Bitdefender? Então clique aqui para conferir uma promoção pra lá de especial.
Barbas de molho, pessoal.
*******
Vocês se lembram da matéria que eu publiquei em meados de 1012, sobre a revista FORBES ter ridicularizado o preço dos veículos no Brasil, onde um Jeep Grand Cherokee custava (e continua custando) três vezes mais do que em Miami? Pois bem, parece que vamos ter de passar a coroa, o cetro e o nariz de palhaço para os cubanos, que voltaram a poder comprar e vender automóveis novos e usados sem precisar de uma “carta de autorização” do governo (essa medida é mais uma etapa das reformas promovidas pelo governo de Raúl Castro para "atualizar" a economia socialista e acabar com algumas restrições e proibições vigentes durante décadas). Claro que a importação de veículos novos ficará por conta do Estado, que os revenderá devidamente acrescidos de impostos e taxas a ser investidas (pelo menos é o que diz o governo) na melhoria do transporte público. No entanto, com os salários pagos na ilha, difícil será o povo economizar o suficiente para comprar um Peugeot 508, por exemplo, sai pelo equivalente a R$ 630 mil (na Europa, ele custa 48.550, o que corresponde a aproximadamente R$110 mil).

E já que estamos no assunto:

 

E viva a patifaria com o povo brasileiro.
Postar um comentário