quinta-feira, 5 de junho de 2014

SMARTPHONES: BACKUPS, BLOQUEIOS E AFINS

O POLÍTICO DEVE SER CAPAZ DE PREDIZER O QUE IRÁ ACONTECER AMANHÃ, NO PRÓXIMO MÊS E NO ANO QUE VEM, E DE EXPLICAR DEPOIS POR QUE FOI QUE NÃO ACONTECEU O QUE ELE PREVIU.

Já vimos que cópias de segurança da agenda de contatos e dados de difícil recuperação em caso de perda, roubo ou quebra do celular podem ser criados tanto com recursos do próprio aparelho quanto com serviços oferecidos pelas principais operadoras. Mas não é só.
Fabricantes como a LG, a MOTOROLA, a NOKIA, SAMSUNG e a SONY ERICSSON, dentre outros, disponibilizam em seus websites aplicativos que servem para a criação de backups e sincronização dados entre o smartphone e o PC. Já para quem preferir uma ferramenta polivalente, o ZYB – que é gratuito, dispensa download e instalação – suporta a maioria das marcas, modelos e operadoras – basta preencher um cadastro com o número da linha, modelo do aparelho e operadora para receber um SMS com o código de confirmação. Dentre outras vantagens, o serviço não impõe limite de volume, sincroniza os dados sempre que alguma alteração é realizada, atualiza automaticamente a agenda de contatos – seja via telefone, seja via Internet – e ainda cria cópias de mensagens de texto e fotos.
Se você prefere uma solução que dispensa o uso de PC e de qualquer software, o Backup-Pal armazena até 4000 contatos e traz nove adaptadores compatíveis com os principais modelos de celulares do mercado (só que custa cerca de R$ 100).

Observação: Caso nenhuma das sugestões anteriores lhe satisfaça, pesquise por "SIM CARD BACKUP" no seu mecanismo de buscas preferido e confira uma miríade de sugestões, tais como pendrives com leitores de chip, versões eletrônicas do antigo caderninho de telefone (a partir de US$ 3) e muito mais.

Na indesejável – mas inarredável – possibilidade de se telefone cair nas mãos de algum amigo do alheio de plantão, faça um boletim de ocorrência o quanto e peça à operadora que bloqueie seu SIM-Card. E para impedir que o meliante utilize ou venda seu aparelho, solicite que o respectivo EMEI (falamos sobre isso duas postagens atrás) seja incluído no Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI), de modo que não volte funcionar se alguém tentar reabilitá-lo com outra linha.

Até mais ler.

Postar um comentário