quinta-feira, 28 de agosto de 2014

INTERNET – VELOCIDADES DE CONEXÃO E DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS

NO BRASIL, O FUNDO DO POÇO É APENAS UMA ETAPA. 

Para complementar o que vimos nos posts anteriores, resta dizer que a naturalidade com que falamos em conexões de 100 Mbps e roteadores wireless distribuindo o sinal da Internet para tablets e smartphones pela casa afora pode ser perturbadora para quem mora onde o vento faz a curva e tem como única opção a jurássica rede dial-up. Por outro lado, até mesmo uma Bugatti Veyron SSque alcança 431 Km/h de velocidade máxima e atinge 100 Km/h está sujeita às limitações da malha viária por onde trafega. Considerando o trânsito caótico de Sampa nos horários de pico, essa máquina maravilhosa seria ultrapassada até por um pingüim (6,9 km/h), embora com pista livre e colhões para acelerar fundo, você leva a bichinha da inércia a 100 km/h em cerca de 2 segundos!
Resguardadas as devidas proporções, esse mesmo raciocínio se aplica às estradas virtuais, onde diversos fatores levam os dados a fluir com maior ou menor rapidez (para mais detalhes, clique aqui). No entanto, arrastar-se pela Rede quando se paga por um plano de 5 ou 10 Mbps (a velocidade média da banda larga fixa, no Brasil ainda é de de 2,4 Mbps) é inadmissível.
Embora você possa avaliar sua conexão através de medições manuais, é mais rápido e preciso recorrer a um Medidor de Velocidade, como os disponibilizados pela Anatel (clique aqui para conexão fixa e aqui para conexão móvel) ou os excelentes SPEEDTEST e COPEL, dentre outras opções (mais detalhes nesta postagem), lembrando sempre que lentidão anormal no carregamento de determinadas páginas ou na transferência de arquivos volumosos pode decorrer de congestionamentos na Rede, sobrecarga dos servidores e outros problemas pontuais. Então, não “solte os cachorros” no help desk do seu provedor sem antes realizar suas medições.

Observação: As Taxas de Download e Upload remetem à velocidades com que os arquivos são transferidos da Rede para o PC e deste para aquela, respectivamente. Por convenção, elas são expressas em bits por segundo e seus múltiplos (Kb/s, Mb/s), como vimos nas postagens anteriores. 

Para obter resultados mais precisos, convém fazer o teste pela conexão cabeada. O sinal distribuído pelo roteador pode variar de um ponto para outro da casa e até mesmo sumir no banheiro, por exemplo, embora às vezes chegue firme e forte na sala de estar do seu vizinho. Convém também suspender os downloads e uploads em curso, encerrar o Skype e encerrar seu cliente de emails.
Repita o procedimento várias vezes, em horários diferentes (tipo manhã, tarde, noite e madrugada), durante pelo menos dois seguidos. Quanto maiores as taxas de download e upload, melhor a sua conexão, mas lembre-se de que é normal os serviços ADSL apresentarem taxas de upload menores do que as de download. Já o PING, medido em milissegundos (ms), corresponde ao tempo que o computador leva para enviar um pacote de dados para outro computador e vice-versa (nesse caso, quanto menor esse valor, melhor será sua conexão)

Tendo tempo e jeito, assista ao vídeo abaixo.


Abraços a todos e até amanhã, se Deus quiser.
Postar um comentário