quinta-feira, 11 de setembro de 2014

SMARTPHONES E TABLETS - TENDÊNCIAS DE MODERNIZAÇÃO

JÁ QUE ESTÁ NO INFERNO, DÊ UM ABRAÇO NO DIABO.

A despeito da rapidez com que os fabricantes de gadgets substituem seus modelos de ponta por outros ainda mais avançados, manter-se up to date com cada lançamento é uma prática limitada a poucos felizardos. Embora os desktops, laptops, celulares, smartphones, tablets, câmeras digitais, TVS LED FULL HD e outros que tais venham ficando progressivamente mais baratos, trocá-los a cada seis meses – ou assim que uma versão mais recente chegue às prateleiras – não é boa política (ao menos do ponto de vista financeiro), pois a redução no preço dos novos influi diretamente no mercado de usados.

Observação: Quanto eu poderia pedir por um PC de mesa, com configuração top de linha, cuja integração me custou cerca de R$ 4.000, dez anos atrás, se os grandes magazines oferecem modelos novos, ainda que de entrada de linha, por menos de R$ 1.000? Só no monitor LCD Philips de 19” eu gastei mais do que isso... (veja exemplo na ilustração acima).

Seja como for, um estudo produzido pela Kantar Worlpanel dá conta de que os mais jovens são os que mais se preocupam em modernizar seus equipamentos. Entre janeiro e maio passados, 2.300 usuários da região metropolitana de São Paulo foram consultados sobre a intenção de trocar de smartphone no próximo ano. Desse universo, 50% dos menores de 25 anos responderam SIM, 33% disseram TALVEZ e 17% responderam NÃO. Dentre os maiores de 25 anos, os percentuais foram, respectivamente, 27%, 22% e 51%.

A propósito, a cada cinco celulares vendidos no mundo, no ano passado, quatro eram equipados com o Android – que rodava em 81,3% dos 251,4 milhões de celulares inteligentes comercializados entre julho e setembro do mesmo ano. Tanto o iOS (Google) quanto o Black Berry perderam espaço no mercado conquanto o Windows Phone tenha crescido de 2,1% para 4,1%, notadamente devido ao sucesso de vendas do Lumia (Nokia) na Europa, Ásia e EUA.

E você, leitor? Qual a marca, modelo e tempo de uso do seu aparelho? Pretende mantê-lo em ativo por quanto tempo mais? Caso vá trocá-lo em breve, qual a marca e modelo em vista?
Participe. Afinal, como diz meu velho amigo Guilherme William (ex-afirmativo, ex-café e livro e atual com a boca no mundo), “isso aqui não é um monólogo”!

Observação: Para quem não sabe – e o pior é que ainda tem quem não saiba – a janelinha dos comentários se abre quando você clica no link “comentários”, no final de cada postagem, logo abaixo de uma linha pontilhada e à direita do nome de quem postou a matéria (o meu) e o horário em que ela entrou no ar (oriente-se pela figura ao lado). Nela você verá o campo para a inserção do texto e quatro opções de identificação (não há captchas a reproduzir nem qualquer tipo de moderação). Se não quiser se identificar ou não tiver uma conta no Google com a qual se logar, use uma das duas últimas (oriente-se pela imagem à direita): selecionando Nome/URL, o nome ou nickname que você inserir no campo respectivo será exibido na postagem (desconsidere o URL); se preferir, selecione Anônimo e poste seu comentário, mas não deixe de ao menos “assiná-lo” com suas iniciais ou um nick qualquer, ou eu serei obrigado a tratá-lo por “anônimo” em minha resposta.

Tenham todos um ótimo dia. 
Postar um comentário