quinta-feira, 2 de outubro de 2014

S.M.A.R.T. SMART e SMART V2

QUANDO VOCÊ LÊ ALGO QUE NÃO ENTENDE, ESTEJA CERTO DE QUE FOI ESCRITO POR UM ADVOGADO.

Pegando um gancho no post anterior, com um pouco de sorte e a adoção dos cuidados necessários, é possível utilizar o PC durante anos a fio sem que a saúde do disco rígido inspire maiores cuidados. Demais disso, desde meados dos anos 1990 que os fabricantes de HDs incluíram em seus produtos o SELF MONITORING ANALYSIS and REPORTING TECHONOGY – ou S.M.A.R.T.
Com base numa lista de falhas possíveis, o programinha monitora estado do motor, das superfícies graváveis e das cabeças de leitura e gravação, dentre outros itens, e alerta o usuário para problemas físicos iminentes.
Caso esteja habilitado no CMOS Setup da placa-mãe, o S.M.A.R.T. irá fazer a checagem que lhe compete durante o POST – auto-exame realizado pelo computador durante a inicialização para verificar se o hardware se encontra em condições operacionais – e enviar algum tipo de mensagem se detectar algum atributo com valor fora dos padrões.

Observação: Conforme ensina Mestre Morimoto, habilitar o recurso em questão não degrada o desempenho do computador, pois o monitoramento é feito somente durante a inicialização. Se você preferir mantê-lo desabilitado – ou se não houver a opção respectiva no CMOS Set Up da sua placa-mãe –, ainda assim será possível verificar os atributos em discos rígidos que disponham da tecnologia, dede que o usuário instale um aplicativo específico para esse fim, tais como os freewares HDTune e SmartExplorer).

Numa tradução livre do inglês, o termo SMART significa ESPERTO, INTELIGENTE, e vem sendo utilizado, de um tempo a esta parte, para designar aparelhos com alto grau de tecnologia embarcada. Aliás, também atende por esse nome uma aplicação portátil que auxilia os usuários a conhecer os processos e serviços que o Windows roda em segundo plano e ajuda a otimizar o sistema. Mas isso já é assunto para a postagem da próxima segunda-feira.
Abraços e até lá.


Postar um comentário