terça-feira, 30 de dezembro de 2014

DE VOLTA AOS ADWARES, PUPs & CIA.

QUALQUER TECNOLOGIA SUFICIENTEMENTE AVANÇADA É INDISTINGUÍVEL DA MÁGICA.

Conforme vimos em diversas oportunidades, adwares e outros programinhas cabulosos costumam vir “de carona” com freewares úteis, e como os desenvolvedores nem sempre facilitam a separação do joio de trigo, a remoção dos PUPs a posteriori costuma ser complicada quando não se dispõe do mapa da mina. No entanto, é possível reduzir sensivelmente esses aborrecimentos seguindo as sugestões abaixo:

1.   Seja seletivo ao baixar e instalar aplicativos. Mesmo que você possa remover os que forem desnecessários, o processo costuma deixar resíduos no disco e no Registro, o que, com o passar do tempo, acaba comprometendo o desempenho do computador (para saber mais, clique aqui).

2.   Procure fazer seus downloads a partir dos websites dos respectivos desenvolvedores, de grandes portais (como UOL, TERRA, GLOBO, etc.) e de repositórios confiáveis, como o SUPERDOWNLOADS, GRATIS.COM, FILEHIPPO.COM etc. (para mais informações, clique aqui).

3.   Salve os arquivos de instalação no Desktop (ou em outro diretório de sua preferência), dê um clique direito sobre o ícone respectivo e escolha a opção Scan with ou Escanear com, seguida do nome do seu antivírus. Na dúvida, obtenha uma segunda opinião com um antivírus online (HouseCall, ActiveScan, Kaspersky, F-Secure ou BitDefender, por exemplo) ou mais de 50 opiniões de uma só vez submetendo o arquivo suspeito ao VirusTotal.

Observação: O fato de um arquivo ser aprovado pelos antivírus não significa que ele não contenha outros programinhas além do que seria de se esperar. Procure mais informações na EULA (ou recorra ao EULALYZER, que analisa rapidamente os contratos e apresenta uma resenha do conteúdo potencialmente perigoso).

4.   Mesmo que sua suíte de segurança conte com um módulo anti-spyware, não deixe de conhecer – e instalar, se for o caso – a versão gratuita do SuperAntispyware, que localiza e elimina PUPs que a maioria das demais ferramentas deixa passar.

5.   Crie um ponto de restauração do sistema e acompanhe atentamente a instalação do aplicativo, até porque desenvolvedores responsáveis dão conta da existência de penduricalhos e permitem elidi-los do processo de forma simples e intuitiva (no mais das vezes, basta desmarcar uma caixa de verificação).

Há casos em que você só se dá conta de ter levado gato por lebre depois do ponto sem retorno, e devido à trabalheira que dá neutralizar a ação de alguns desses intrusos, acaba chutando o pau da barraca e reinstalando o sistema – uma excelente solução, sem dúvida, mas que deve ser reservada para situações em que não haja alternativa.


Tenham todos um ótimo dia. 
Postar um comentário