sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

SAIBA COMO EVITAR A AÇÃO DE MALWARES

PODEMOS NOS DEFENDER DE UM ATAQUE, MAS FICAMOS INDEFESOS DIANTE DE UM ELOGIO.

Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém, acredite. Quem avisa, amigo é.
Do jeito que a coisa anda, todo cuidado é pouco quando se trata de anexos de email, freewares, arquivos descarregados da Web ou transferidos através de programas mensageiros e assemelhados, links suspeitos, e por aí vai.
Claro que você dispõe de um arsenal de segurança responsável e é um dos primeiros a blindar o sistema e aplicativos sempre que os respectivos fabricantes disponibilizam atualizações e correções, mas, como em rio que tem piranha jacaré nada de costas, não custa contar com os préstimos do Vírus Total – que eu já abordei em outras postagens, mas achei por bem relembrá-lo; afinal, o que abunda não excede.
Então, na eventualidade de você cismar com um arquivo qualquer, a despeito da procedência supostamente legítima – lembre-se: basta alguém mal-intencionado saber o caminho das pedras para se passar por você e enviar emails para todos os contatos da sua lista –, fiscalize-o primeiramente com seu antivírus residente (não sem antes assegurar-se de que ele esteja devidamente atualizado). Se nada for encontrado, acesse o site do Vírus Total, faça o upload do arquivo e aguarde o resultado (em questão de segundos ele será verificado por cerca de 50 renomadas ferramentas de segurança).
Caso queira simplificar o processo, instale o Vírus Total Uploader, que adiciona a entrada “Vírus Total” ao menu que se abre quando você dá um clique direito sobre um arquivo qualquer, mas tenha em mente, que ele serve apenas para checar arquivos suspeitos por demanda – ou seja, não oferece proteção ativa em tempo real e nem o desobriga de manter um antivírus residente ativo, atualizado e adequadamente configurado.
Já para fiscalizar links, use o TRENDPROTECT, o URLVOID e o SUCURI (este último é mais indicado para LINKS ENCURTADOS).
Espero ter ajudado.



Piadinha da vez:


Disse Lula:
"Na verdade, não sei quando sou presidente e quando sou candidato".
O Zé Simão, na Folha de São Paulo, dirimiu a dúvida:
"Quando está fazendo merda, ele é presidente; quando está prometendo merda, ele é candidato". E completou:

"Quando ele sabe de tudo, é candidato; quando não sabe de nada, é presidente".

Um ótimo Carnaval a todos e até quarta-feira, se Deus quiser.
Postar um comentário