terça-feira, 10 de março de 2015

PARTICIONAMENTO DO HD - WINDOWS 7 (continuação)

FARE E DISFARE È TUTTO UN LAVORARE (CHE NESSUNO VUOL PAGARE)

Via de regra, ao pré-instalar o Windows, os fabricantes de PCs alocam todo o espaço do HD para a unidade do sistema (*) – ou quase todo o espaço, já que, em vez de fornecer o DVD de instalação do sistemamuitos deles costumam armazenar numa pequena partição oculta os arquivos destinados de reverter o software do computador às condições originais.

Vale lembrar que esse “salva-vidas” pode se tornar uma “canoa furada” se a tal partição for corrompida, ou se uma pane física impedir o acesso aos dados que ela contém. Então, é importante criar discos de resgate ou uma imagem do sistema tão logo o computador seja posto em funcionamento pela primeira vez (ou com a possível urgência, caso você ainda não tenha tomado esse cuidado).

Para saber como criar discos de resgate (ou discos de pré-definição, como querem alguns fabricantes), acesse esta postagem. Já para criar uma imagem do sistema:

1. Abra o Painel de Controle;
2. Clique em Backup e Restauração;
3. Na coluna à direita, clique no link Criar uma imagem do sistema;
4. Informe sua senha de administrador, caso ela seja solicitada;
5. Na próxima tela, escolha o local onde a imagem deverá ser salva e clique em Avançar (no caso de um HD externo ou de um pendrive, assegure-se de que o dispositivo esteja devidamente conectado uma porta USB do computador).
6. Confirme as configurações, clique em Iniciar Backup e aguarde a conclusão do processo.

imagem – cópia fiel do sistema, programas, configurações e arquivos – permite restaurar o computador ao "status quo" vigente no momento em que ela foi criada. É possível salvá-la numa partição do HD interno (desde que não seja a que contém o SO), num HD externo USB ou num pendrive de alta capacidade, desde que formatados em NTFS. Caso vá utilizar DVDs graváveis, deixe uma porção deles à mão, pois a imagem irá ocupar dezenas de gigabytesSe for preciso restaurar o PC a partir dessa cópia:

1. Abra o Painel de Controle e, em Exibir por: marque Ícones Grandes ou Ícones Pequenos, a seu critério, para acessar a tela Todos os Itens do Painel de Controle;
2. Clique em Recuperação;
3. Clique em Métodos de recuperação avançados;
4. Clique em Usar uma imagem de sistema criada anteriormente e siga as instruções do assistente.

Observação: Note que a restauração fará tudo voltar a ser como era no momento em que a imagem foi gravada, razão pela qual é conveniente manter backups atualizados de seus arquivos importantes (para saber como fazer isso, clique aqui). Como medida de extrema cautela, crie também um backup dos drivers de chipset e dispositivos (para isso, eu sugiro recorrer o freeware DriverMagician).

Voltando à vaca fria, deixar de criar pelo menos uma segunda partição num drive de disco rígido moderno, que chega a oferecer até 6 TB de espaço, é um despropósito. Dentre outras vantagens, o particionamento melhora o desempenho, agiliza a desfragmentação, facilita o backup, aprimora a segurança e mantém os arquivos pessoais intocados durante uma eventual formatação da unidade do sistema, além de permitir que você instale múltiplos sistemas operacionais ou múltiplas versões do mesmo sistema no computador.

Interessado? Então não perca a postagem de amanhã. Abraços e até lá.

(*) Partição de sistema e partição de inicialização são nomes atribuídos às unidades (ou os volumes) que o Windows usa ao ser iniciado. Esses termos podem ser confusos, pois a partição do sistema contém os arquivos usados para inicializar o Windows, enquanto que a partição de inicialização contém os arquivos do sistema. No entanto, como o uso consagra a regra, partição do sistema, para os efeitos desta sequência de postagens, é aquela que contém o Windows (geralmente a unidade C:).
Postar um comentário