sexta-feira, 5 de junho de 2015

DE VOLTA À STEGANOS PRIVACY SUITE – APAGAMENTO DEFINITIVO DE ARQUIVOS.

SE TIVÉSSEMOS RABO, MUITOS DE NÓS PASSARÍAMOS O DIA CORRENDO ATRÁS DELE, TENTANDO ARRANCÁ-LO COM OS DENTES.

Na postagem de fevereiro passado sobre a STEGANOS PRIVACY SUITE, eu fiz uma remissão ao review que publiquei em Maio de 2014 sobre a ferramenta SAFE (caixa forte digital para proteção dos dados) e discorri brevemente acerca do Steganos Online Shield VPN, que permite navegar anonimamente – medida altamente recomendável, hoje em dia, para quem se preocupa em resguardar sua privacidade.

Hoje, volto a focar a suíte em questão para falar sobre a ferramenta Shredder, que apaga definitivamente os arquivos, evitando sua recuperação através de programinhas dedicados.

Observação: Como nossos leitores habituais já sabem, enviar um arquivo para a lixeira faz com que o Windows passe a enxergar como disponíveis os clusters que o dito cujo ocupava ─ em outras palavras, os dados deletados são passíveis de recuperação até que sejam sobrescritos.  

A ferramenta Shredder oferece três modalidades de eliminação de arquivos: a sobregravação completa (rápida) sobrescreve os dados uma única vez; a repetida (mais lenta), três vezes ─ sendo uma com o caractere 1, outra com o 0 e a terceira, com dados aleatórios ─, e o método Gutmann, que atende as exigências da Agência de Segurança Nacional norte-americana, nada menos que trinta e cinco vezes!

A STEGANOS PRIVACY SUITE custa R$119,90, mas você pode testá-la gratuitamente por 30 dias. Interessado? Então clique aqui para acessar o site oficial em português.

Para encerrar, nosso tradicional humor de sexta-feira:

Um contribuinte de Pará de Minas (MG) teve sua declaração rejeitada pela Receita Federal porque, em resposta à pergunta "você tem dependentes", ele declarou:

40.000 imigrantes ilegais; 1.000.000 viciados; 20 milhões a quem eu pago Auxílio Preguiça; 1.500.000 criminosos em prisões; 100.000 ONGs, além de uma porrada de facínoras, ocupantes de cargos públicos comissionados, políticos em Brasília, Estados e Municípios; e, pior ainda, os habitantes de Cuba, principalmente os 6.000 "Médicos Escravos" e todos os portuários de Porto Mariel, mais uma dezena de países com ditaduras na África e na América do Sul, sem falar da quenga do Lula (Dona Rose, que perdeu a boquinha em SP); o filho Lulinha (de limpador de merda de elefante, em 2002, a grande pecuarista, em 2010, ou melhor, em 8 anos de "Desgoverno Lula").

A Receita afirmou que o preenchimento que ele fez no IR era inaceitável, e sua resposta foi:

- Inaceitável? Puta que pariu, de quem será que eu esqueci? 






Bom final de semana a todos e até segunda, se Deus quiser.
Postar um comentário