terça-feira, 30 de junho de 2015

O QUE SÃO ARQUIVOS TORRENT E COMO MANIPULÁ-LOS

NA FÍSICA, O MOMENTO DA VIRADA CORRESPONDE AO PONTO DE ACUMULAÇÃO A PARTIR DO QUAL OCORRE UMA RUPTURA. NO CENÁRIO POLÍTICO NACIONAL, ESTAMOS PRÓXIMOS DESSE MOMENTO: O MAL-ESTAR ESTÁ NAS RUAS E AS PESSOAS PASSARAM A TER SENSO DE URGÊNCIA.

Dentre inúmeras vantagens da Internet em relação às demais mídias estão a facilidade e a rapidez com que ela nos permite transferir arquivos (da nuvem para o PC e vice-versa) ou compartilhá-los com outros internautas através de serviços/aplicativos específicos. Um bom exemplo disso é o Correio Eletrônico, que há pouco mais de duas décadas adquiriu a capacidade de transportar praticamente qualquer tipo de arquivo digital, e só não jogou a derradeira pá de cal sobre o serviço postal tradicional devido a algumas questiúnculas cujo detalhamento não vem ao caso para efeito desta postagem.

Observação: Em 1992, um email com uma foto do Telephone Chords (quarteto vocal formado por pesquisadores de tecnologia) e uma gravação do "Let Me Call You Sweetheart" causou alvoroço na comunidade nerd, não pelo seu conteúdo em si, mas pelo fato de ele estar lá e poder ser acessado pelos destinatários.

A transmissão de arquivos digitais entre dispositivos remotos abriu um vasto leque de possibilidades (algumas voltadas para o mal, infelizmente, mas isso faz parte do jogo): Já não precisamos reunir a galera para exibir as fotos das nossas últimas férias, p. ex., pois é possível enviá-las a qualquer momento, diretamente do smartphone usado em sua captura, ou de algumas câmeras de última geração que incluem essa funcionalidade. Vasculhar as prateleiras da seção de informática dos grandes magazines também caiu de moda, pois é mais prático baixar o programa desejado a partir do site do respectivo desenvolvedor ou de repositórios como BAIXAKI, SUPERDOWNLOADS, SOFTONIC e FILEHIPPO, dentre tantos outros.

Esses são apenas alguns exemplos cuja importância justifica a menção, e não o tema central desta matéria, que é o TORRENT ─ formato de arquivo utilizado por um protocolo de transferência do tipo P2P (Peer to Peer), que funciona na base do “toma lá dá cá”, como veremos em detalhes na postagem de amanhã. Abraços a todos e até lá.
Postar um comentário