terça-feira, 28 de julho de 2015

COMO AUMENTAR O CACHE DO PROCESSADOR E APRIMORAR O DESEMPENHO DO SISTEMA

PROGRAMAÇÃO É COMO SEXO: BASTA UM ERRO PARA VOCÊ ESTAR IRREMEDIAVELMENTE COMPROMETIDO.

O PC utiliza memórias de diversos tipos, formatos e tecnologias, mas para não descer a detalhes técnicos que mais complicam do que esclarecem, vou transcrever abaixo uma analogia de que gosto muito, e que publiquei pela primeira vez no saudoso Curso Dinâmico de Hardware, em dois mil e bolinha. Confira:

Imagine o PC como um escritório e o processador como um funcionário extremamente diligente, mas sem iniciativa própria. Durante o expediente, nosso hipotético funcionário atende telefonemas, recebe e transmite informações e instruções, elabora cartas e relatórios, responde emails, etc. (tudo quase que simultaneamente), mas quando algum item indispensável às suas tarefas não se encontra sobre a mesa, ele perde um bocado de tempo escarafunchando gavetas e estantes bagunçadas (quem mandou você não desfragmentar seu disco rígido?). Pior é quando ele se vê obrigado a abrir espaço para acomodar novos livros, pastas e afins sobre a mesa já abarrotada, e depois arrumar tudo de novo antes de retomar a tarefa interrompida. Dito isso, fica fácil associar a escrivaninha à memória cache, as gavetas à RAM, as estantes ao HD e a ‘abertura de espaço’ à memória virtual, não é mesmo?

Entendidos esses conceitos, vejamos agora como aumentar o cache do processador, lembrando que, como em qualquer outra reconfiguração/personalização do sistema envolvendo o Registro, é fundamental criar um ponto de restauração e um backup do Registro (ou da chave que será modificada).

1. Para criar um ponto de restauração do sistema no Seven, clique em Iniciar, digite criar ponto na caixa de pesquisas e, no alto da lista que será exibida, dê duplo clique em Criar ponto de restauração. Informe sua senha de administrador se lhe for solicitado e, na telinha das Propriedades do Sistema, pressione o botão Criar..., dê um nome ao ponto que será criado e clique em Criar > Aplicar > OK. Se for preciso restaurar o sistema a esse ponto (ou a outro criado em outra oportunidade), repita os mesmos passos para acessar a tela das Propriedades do Sistema, pressione o botão Restauração do sistema... e siga as instruções do assistente.

2. Para fazer um backup do Registro, pressione o atalho Windows+R, digite “regedit” (sem as aspas) na caixa do menu Executar e tecle Enter (ou clique em OK, tanto faz). Na tela do Editor, clique no menu Arquivo e selecione Exportar; em “Intervalo de exportação”, marque TODOS (caso queira efetuar backup de todo o Registro), ou em RAMIFICAÇÃO SELECIONADA (se quiser criar um backup somente de uma determinada chave) e digite o nome da chave que você deseja exportar. Dê então um nome ao arquivo, indique o local onde ele deverá ser salvo (Área de Trabalho, por exemplo) e clique em Salvar.

Observação: Caso você precise desfazer as modificações implementadas no Registro, dê um clique direito sobre o arquivo de backup (que é salvo com a extensão .reg), escolha a opção “Mesclar” e confirme a restauração.

Tomadas essas providências, siga os passos do item 2 para acessar o Editor do Registro, e então:
  • Na janela do Editor, expanda a chave HKEY_LOCAL_MACHINE e navegue até SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management.
  • Clique em Memory Management e, no painel à direita, dê duplo clique em LargeSystemCache.
  • Na janelinha Editar Valor DWORD (32 bits) que se abrirá em seguida, altere o valor da caixa Dados do valor para 1, mantenha selecionada a opção Hexadecimal e pressione o botão OK, reinicie o computador e avalie o resultado.
Observação: Há quem afirme que aumentar o tamanho do cache implica em reduzir a oferta de RAM para os aplicativos. No XP, esse ajuste podia ser levado a efeito através da interface do sistema, mas, segundo a Microsoft, o modo de cache do sistema foi projetado para aprimorar o desempenho de servidores baseados no Windows, e a alteração da configuração padrão (Programas) em desktops, especialmente se com pouca memória física, acabaria estimulando o uso da memória virtual e, consequentemente, deixando a máquina mais lenta. Como a reversão é simples, você pode experimentar e, se não gostar, voltar ao status quo ante restabelecendo o backup do registro (conforme explicado na observação anterior).

Abraços a todos e até amanhã.
Postar um comentário