quinta-feira, 30 de julho de 2015

FIREFOX - SOLUÇÃO DE PROBLEMAS (continuação)

NÃO É POLIDO CALAR UM IDIOTA, MAS É CRUEL DEIXÁ-LO PROSSEGUIR.

Como esperado (e antecipado aqui no Blog), o Windows 10 finalmente chegou. Ou quase, porque, também como já foi dito, ele será distribuído “em ondas”, o que levará muitos usuários a esperar mais algumas semanas (ou até meses) pra tê-lo em seu PC. A propósito, vale lembrar que a atualização gratuita abrange usuários de 190 países, e contempla usuários que tenham cópias licenciadas do Windows 7, Windows 8.1 e Windows Phone 8.1.
Num primeiro momento, a atualização será liberada para os 5 milhões de usuários que testaram a versão beta do sistema, bem como para quem adquirir novos computadores (algumas empresas, como a Dell, asseguram que já dispõem de notes com o novo sistema pré-instalado para pronta entrega). Na sequência, o upgrade será liberado para os usuários que fizeram reserva de atualização do sistema nos seus computadores. Segundo a Microsoft, a atualização deve levar entre 30 a 45 minutos (tempo que não considera o download dos arquivos de instalação). 
Curiosamente, ao verificar as atualizações disponíveis para o meu PC, constatei que já posso dar andamento ao upgrade, pois o download de 2.640.6 MB já está concluído – para não ser pego com as calças na mão, eu configurei minhas atualizações automáticas para fazer o download, mas me deixar escolher o momento da instalação.

Amanhã eu volto com mais uma prévia sobre o W10, pessoal. Passemos agora à postagem do dia:

Nem sempre a reinstalação de um aplicativo mal-comportado é a melhor solução para recolocar o bonde nos trilhos, embora costume ser a mais rápida e prática ─ até porque analisar criteriosamente os sintomas visando identificar a origem da anormalidade costuma levar tempo e dar um bocado de trabalho. Em alguns casos (como o do Windows, p. ex.), essa medida é trabalhosa e leva um bocado de tempo, notadamente devido aos indefectíveis procedimentos "pós-reinstalação" (atualizações, reconfigurações, personalizações, etc.).

Voltando ao Firefox, se as ações previamente sugeridas não forem suficientes para domar a raposa, não parta para uma solução radical sem antes reverter o programa a suas configurações originais. Para isso, encerre e reabra o navegador, digite "about:support" (sem aspas) na barra de endereços e pressione a tecla Enter. Na tela Dados para suporte, no campo Faça uma limpeza no seu Firefox, clique em Restaurar o Firefox.

Esse procedimento irá remover extensões e temas, permissões de webpages, preferências modificadas, mecanismos de pesquisa (com exceção da opção padrão), histórico de downloads, armazenamento DOM, configurações de segurança, ações ao baixar arquivos, configurações de plug-ins, personalizações da barra de ferramentas, estilos do usuário e recursos sociais, ms manterá intocados os seus Favoritos, Histórico de navegação, senhas memorizadas, janelas, abas e grupos de abas abertas, cookies, informações de autocompletar e dicionário pessoal.

Observação: Será criada também a pasta "OLD FIREFOX DATA", que você pode excluir se a restauração for bem sucedida, ou usar para recuperar algumas informações que não tenham sido salvas.  

Abraços a todos e até amanhã.   
Postar um comentário