quarta-feira, 29 de julho de 2015

MOZILLA FIREFOX - SOLUÇÃO DE PROBLEMAS


O PREÇO DA LIBERDADE É A ETERNA VIGILÂNCIA.


É provável que alguns de vocês esperassem que este post trouxesse novidades sobre o Windows 10, até porque hoje é o (tão esperado) dia em que ele chega ao mercado – e de uma forma inusitada, considerando que as edições anteriores tinham de ser adquiridas no varejo, através de um DVD com os arquivos de instalação, ou pré-carregadas pelo fabricante, no caso de um computador novo (OEM). No entanto, como a gente já discutiu o upgrade gratuito e os pré-requisitos estabelecidos pela Microsoft para concedê-lo a usuários das edições 7 SP1  e 8.1, e tendo em vista que ainda é cedo para dizer qualquer coisa além do que já foi dito, vamos deixar para retomar esse assunto quando a poeira começar a baixar. Passemos agora à postagem do dia:

MS Internet Explorer foi o navegador mais usado em todo o mundo até ser destronado pelo Chrome, em meados de 2012. Hoje, segundo a STATCOUTER GLOBALSTATS, o browser do Google lidera o ranking mundial (com quase 50% da preferência dos internautas), seguido de longe pelo IE (18,3%) e pelo Firefox (16,8%). No Brasil, as posições são as mesmas, mas os números são outros: 64,37% para o Chrome, 20,97% para o IE 9,98% para o Firefox.   

Observação: Eu, particularmente, sempre fui fã do IE, e embora ainda o mantenha em QAP para qualquer eventualidade, venho usando o Chrome como navegador padrão desde meados de 2011 (devido a sua maior compatibilidade com o Blogger) e browser da Fundação Mozilla como segunda opção.

O fato de a "raposinha" carregar a lanterninha (Safári e Opera são bem menos cotados e, portanto, não foram considerados neste comparativo) não a torna menos simpática aos meus olhos. Aliás, ela vem melhorando a cada nova versão (a mais recente, no memento em que eu estou escrevendo este texto, é a 37.0.2), embora por vezes seu apetite por memória se torne voraz, sem mencionar outros probleminhas igualmente incomodativos e difíceis de solucionar quando não se conhece o caminho das pedras.

Se, como eu, você simpatiza com o Firefox, mas está pensando em desinstalá-lo devido a problemas de lentidãoerros ou travamentos recorrentes, experimente seguir as dicas abaixo:
   
1. Atualize seu navegadorO Firefox é programado para buscar e instalar atualizações automaticamente, mas você pode conferir se a versão em uso é a mais recente pressionando o botão Abrir menu (com três tracinhos horizontais, na extremidade superior esquerda da janela), clicando no pequeno ponto de interrogação exibido ao lado de Personalizar e selecionando a opção Sobre o Firefox. Além de exibir a versão do programa, esse procedimento fará com que ele seja atualizado para a versão mais recente (caso haja uma versão mais recente, naturalmente).

2. Reinicie o Firefox ─ Como qualquer outro software, o Firefox tende a se tornar "pesado" quando utilizado por longos períodos. Então, encerrar e reabri-lo em seguida pode restabelecer seu frescor inicial. Note que, se houver abas abertas no momento em que você fechar o navegador, você poderá resgatá-las pressionando o botão Restaurar sessão anterior que será exibido na página inicial padrão (oriente-se pela figura que ilustra esta postagem).

3. Desabilite os complementos ─ Se as sugestões anteriores não resolveram o problema, repita os passos da primeira dica, mas, em vez de selecionar a opção Sobre o Firefox, clique em Reiniciar com extensões desativadas e confirme em Reiniciar. Se a melhora for significativa, torne a pressionar o botão Abrir menu, clique em Complementos e reabilite os itens desativados, um de cada vez. Quando o problema tornar a se manifestar, você terá encontrado o responsável (que, obviamente, deverá ser novamente desativado).

4. Instale o Flashblock e o NoScript ─ Algumas páginas da Web exibem conteúdos totalmente dispensáveis, mas cuja visualização faz com que o navegador consuma mais memória. Clique nos links acima para conhecer melhor (e instalar, se for o caso) esses dois valiosos complementos.

Abraços a todos e até a próxima.
Postar um comentário