terça-feira, 22 de setembro de 2015

SPYWARES - CAUTELA E CANJA DE GALINHA NÃO FAZEM MAL A NINGUÉM

SÓ EXISTEM DOIS DIAS NO ANO EM QUE NADA PODE SER FEITO. UM SE CHAMA ONTEM E O OUTRO, AMANHÃ.

A popularização do correio eletrônico, dos programas mensageiros, das redes sociais, da banda larga e dos roteadores wireless proporcionou aos cibercriminosos um campo fértil para semear seus engôdos. Mesmo que você tenha um arsenal de defesa responsável e cultive hábitos saudáveis de navegação, é possível que algum programinha espião tenha se embuçado nas entranhas do seu sistema, esperando o momento de dar o bote (o que normalmente consiste em capturar informações confidenciais, tais como senhas bancárias, números de cartões de crédito e outras que sirvam para os propósitos escusos da bandidagem digital). Então, para checar se você está sendo monitorado, faça o seguinte:

·        No Windows 7, pressione simultaneamente as teclas Windows e R para abrir o menu Executar. Digite então cmd na caixa respectiva e tecle Enter. Na tela que se abrir, digite netsat, tecle Enter e verifique na lista se existem endereços IP desconhecidos. Caso afirmativo, analise os ícones exibidos na área de notificação do sistema, próxima ao relógio. Caso encontre algum elemento suspeito, recorra ao Google (ou ao seu mecanismo de buscas preferido, caso não seja esse) para descobrir a que ele se refere e se é ou não confiável.

·        Alternativamente, abra o menu Executar, digite msconfig, tecle Enter, clique na aba Inicialização de Programas e verifique se algum programinha estranho foi carregado. Mais uma vez, recorra ao Google para obter mais detalhes sobre o enxerido e, se for o caso, descobrir como fazer para eliminá-lo do seu sistema.

Hoje em dia, uma ameaça muito comum é spyware. Claro que ainda existem muitos vírus, worms e afins ativos e operantes, daqueles da “velha escola”, cuja finalidade precípua é se espalhar e causar danos aos sistemas infectados. No entanto, de uns tempos a esta parte os crackers vêm focando as vantagens pecuniárias que seus programinhas espiões podem lhes proporcionar, seja explorando as informações subtraídas das vítimas, seja revendendo-as para terceiros.
O keylogger, por exemplo, é uma modalidade de spyware que monitora tudo que a vítima digita enquanto usa o computador e envia o relatório sub-repticiamente para o malfeitor que dispõe do módulo cliente do programa. A melhor maneira de neutralizar esse tipo de ameaça consiste em incluir uma ferramenta apropriada (antispyware) no arsenal de defesa do PC, a menos que sua suíte de segurança já embuta um módulo específico. Eu, particularmente, uso e recomendo o excelente Superantispyware, disponível nas modalidades paga quanto gratuita, a critério do freguês.

Observação: Usuários medianos podem detectar keyloggers vasculhando os processos exibidos pelo Gerenciador de Tarefas do Windows. No Seven, pressione as teclas Ctrl+Shift+Esc para convocar o utilitário e, na aba Processos, veja se existe algum item identificado como BKP ou AKL. Caso afirmativo, abra o Utilitário de Configuração do Registro do Sistema (regedit), navegue até a chave HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\MICROSOFT\WINDOWS\CURRENTVERSION\RUN e apague os itens maliciosos. Antes, porém, crie um ponto de restauração e um backup do registro (se você não sabe como fazer isso, acesse esta postagem).

Um bom dia a todos.
Postar um comentário