segunda-feira, 16 de novembro de 2015

WINDOWS 10 — SERÁ QUE AGORA VAI?

OS RICOS E SOLTEIROS DEVIAM PAGAR MAIS IMPOSTOS; NÃO É JUSTO ALGUNS HOMENS SEREM MAIS FELIZES QUE OS OUTROS.

Os pioneiros são reconhecidos pela flecha espetada no peito”.

A frase acima, que é no mínimo lapidar, calça como uma luva no contexto da informática, notadamente no que diz respeito a adotar soluções inovadoras recém-lançadas pelos desenvolvedores de sistemas e aplicativos, como é o caso do Windows 10, cuja adoção a Microsoft vem estimulando desde o final de julho passado, oferecendo a atualização gratuita para usuários das versões 7 e 8.1 de seu festejado sistema operacional.

Digo isso porque, como discutimos em outras postagens, deixar o certo pelo duvidoso sempre envolve riscos, e o fato de um programa ser disponibilizado comercialmente, a despeito de ter sido exaustivamente testado e aprimorado nas versões Beta e Release Candidate, nem sempre (ou quase nunca, melhor dizendo) garante que ele esteja suficientemente “maduro” para proporcionar aos usuários uma transição lisa e satisfatória. Aliás, como vimos recentemente, fabricantes de computadores do quilate da Dell e da HP, quando consultados por analistas que se fizeram passar por “usuários comuns”, aconselharam o downgrade para a edição de origem, devido ao grande número de problemas envolvendo o mais novo rebento da empresa de Redmond.

Mas não há nada como o tempo para passar. Na última quinta-feira, a “mãe da criança” disponibilizou a primeira grande atualização gratuita de seu filhote, incluindo diversos aprimoramentos.
Observação: Mais de 110 milhões de usuários já baixaram o “TEN” desde seu lançamento, aí considerados os cinco previews disponibilizados desde julho, nos quais foram adicionados recursos notáveis e solucionados bugs, embora tenham surgido novos problemas para infernizar a vida dos “apressadinhos”. 

As novidades incluem melhorias para a assistente digital Cortana e o novo navegador Edge (substituto oficial do Internet Explorer); uma nova barra colorida de títulos para aplicativos desktop; e a integração do Skype com os aplicativos Messaging e Skype Vídeo — disponíveis separadamente no Windows Store —, sem mencionar o aplicativo Xbox (não o app Xbox, mas o app Xbox Beta), que facilita a localização de amigos do Facebook, e um recurso (habilitado por padrão) que alerta sobre qualquer problema com aparelhos conectados via USB.

A conferir.
Postar um comentário