terça-feira, 15 de dezembro de 2015

SEGURANÇA DIGITAL -- SAIBA COMO SE DEFENDER DOS GOLPISTAS DE PLANTÃO

TODOS QUE SABEM POUCO QUEREM MOSTRAR POR TODA PARTE O POUCO QUE SABEM.

A aproximação das festas de final de ano atiça a bandidagem digital, cuja criatividade parece não ter limites quando o propósito é engabelar os internautas desavisados. No entanto, por mais “espertinhos” que eles sejam, a simples observância de algumas dicas faz toda a diferença. Acompanhe:

Para evitar fraudes online, mantenha atualizados seu sistema, aplicativos e ferramentas de defesa (antivírus, firewall, anti-spyware, etc.), crie senhas fáceis de memorizar, mas difíceis de serem descobertas, ignore emails suspeitos e baixe arquivos apenas de sites conhecidos (tudo isso já foi discutido detalhadamente em diversas oportunidades; pesquise o Blog usando as palavras-chave adequadas e releia as postagens a propósito).

O cartão de crédito proporciona mais conforto e segurança em viagens, até porque as principais bandeiras (VISA, MASTERCARD, AMEX etc.) são amplamente aceitas, dispensando o portador de carregar cheques de viagem ou somas significativas de dinheiro em espécie. Mas lembre-se de que é fundamental informar o Banco e/ou a administradora do cartão para onde você vai viajar — e por quanto tempo—, bem como solicitar o serviço de "alertas de transação" para acompanhar as suas compras por email ou SMS. E não deixe de anotar e guardar em local seguro os números dos cartões e telefones das respectivas operadoras.

Ao efetuar pagamentos, jamais perca de vista o seu cartão. No restaurante, por exemplo, não havendo leitoras sem-fio, siga o garçom até o terminal onde a transação será finalizada — lembre-se de que bastam alguns minutos para alguém mal-intencionado clonar seu cartão com um chupa-cabras ou mesmo anotar seus dados para usar no e-commerce, onde senhas e assinaturas não são exigidas (se você for adepto a compras online, revejas as dicas consubstanciadas nesta postagem). Verifique atentamente os dados exibidos pela leitora antes de digitar sua senha e guarde os recibos para cotejar com os lançamentos no seu extrato. E na hipótese de perder seu cartão, notifique a operadora imediatamente.

O “phishing” é um golpe por email e tenta enganá-lo para que você revele números de cartões, CPF, RG, senhas de contas bancárias e outras informações pessoais. A maioria dessas maracutaias começa com um email vinculado a um site falso, mas semelhante ao verdadeiro, que encaminha os dados pessoais digitados pelos internautas para os fraudadores. Então, desconfie de qualquer email que solicite dados pessoais. Verifique a legitimidade da consulta ligando para o número impresso no verso do seu cartão de crédito e relate a tentativa de fraude, em sendo o caso, ao Banco ou administradora do cartão.

Observação: Alguém mal-intencionado que obtenha seus dados pessoais poderá assumir sua identidade, abrir contas bancárias, solicitar cartões de crédito, emitir cheques e obter empréstimos. Além disso, poderá sujar seu cadastro e dificultar futuros pedidos de crédito. Ladrões de identidade utilizam várias táticas, até mesmo "vasculhar o lixo" em busca de correspondências e outros papéis que possam contar informações pessoais (habitue-se a rasgar documentos confidenciais antes de jogá-los no lixo; se não tiver uma máquina de picar papel e achar trabalhoso fazê-lo manualmente, mergulhe os documentos num recipiente com água durante uma noite e eles se desmancharão facilmente.

Recuse de antemão quaisquer "testes gratuitos" em que seja preciso informar o número do seu cartão de crédito, a menos que você tencione realmente continuar utilizando o serviço ou recebendo o produto após o período de avaliação. Tenha em mente que metade dos furtos de identidade não é cometida por invasores, mas sim por pessoas que você deixa entrar em casa (você, outro familiar, sua secretária doméstica ou seja lá quem for). Portanto, não deixe correspondências, contas e outros papéis com informações que não interessam a ninguém mais além de você dando sopa pela casa.


Lembre-se também de que os fraudadores podem enviar cartas de aparência oficial ou se fazerem passar por representantes de empresas idôneas, concessionárias de serviços, órgãos públicos, administradoras de cartões e até instituições de caridade. Jamais forneça o número do seu número de cartão ou outros dados pessoais por email, e, por telefone, somente se a ligação partiu de você e se a solicitação faz sentido (se você fizer uma compra por telefone, por exemplo, não poderá fugir disso). Caso você tenha recebido a chamada, não se sinta na obrigação de fornecer dados pessoais e/ou números de documentos ou de cartões de crédito. Em sendo caso, peça detalhes — se o autor da chamada não responder de pronto, desconfie. Não se satisfaça com um número de confirmação ou protocolo; pesquise a empresa no Google e ligue para o número da central de atendimento que consta no site.

Tome cuidado com qualquer oferta que lhe pareça boa demais ou com mensagens dando conta de que você ganhou um prêmio num concurso para o qual não se inscreveu, por exemplo, e, ao tirar férias, suspenda a entrega de jornais, revistas ou qualquer coisa que denuncie sua ausência — na impossibilidade, peça a algum parente ou vizinho de confiança que recolha e guarde para você.

Boa sorte.
Postar um comentário