terça-feira, 29 de dezembro de 2015

SELFIES – O QUE SE PODE E O QUE NÃO SE DEVE FAZER

VIVA O PRESENTE. O PASSADO JÁ PASSOU E O FUTURO TALVEZ NÃO CHEGUE.

Celulares providos de câmeras e capazes de acessar a Internet facilitam a vida de quem é chegado em registrar seu estado de espírito e/ou suas atividades a cada momento do dia. No entanto, isso envolve alguns riscos.

Imagine, por exemplo, uma ninfeta de férias na praia, que, ao adquirir o bronzeado dos seus sonhos, resolve registrar seus dotes numa sequência de fotos (com ou sem a ajuda do espelho ou do timer), enfatizando o contraste da pele queimada com a marquinha minúscula deixada pelo biquíni nos seios, nos glúteos, e por aí afora. Satisfeita com o resultado e estimulada pelas muitas caipirinhas tomadas sob o sol, ela atenta contra a própria intimidade compartilhando as imagens no Facebook (ou Twitter, Instagram, ou outra rede social qualquer – opções é o que não falta). Quando finalmente a ficha cai, depois do almoço e de uma soneca reparadora, ela se apressa em acessar sua conta para desfazer a besteira, mas aí alguém já viu e copiou as fotos, tornando o estrago irreversível.

Observação: O termo “selfie”, incorporado recentemente ao Dicionário Oxford da língua inglesa com o significado de “fotografia que alguém tira de si mesmo, em geral com smartphone ou webcam, e carrega numa rede social", não é exatamente uma novidade. Consta que a filha adolescente do Czar Nicolau II, da Rússia, bateu uma foto de sua imagem refletida no espelho, e como a Internet e as redes sociais baseadas na Web não existiam em 1914, a princesa recorreu ao serviço postal convencional para compartilhar a foto com os amigos.

As selfies vieram para ficar, e o mínimo que se espera de quem não resiste a essa prática é bater fotos de qualidade. Para tanto, basta seguir algumas dicas simples, mas fundamentais:

·        Checar ângulos e fundos é essencial, mas só pode ser feito com a câmera frontal. Na falta dela, repita as fotos até que o enquadramento, a luz e o plano de fundo fiquem como esperado.
·        Cuidado com o “cenário”. Uma foto sua tomando um delicioso sundae perderá parte do “encanto” se, por exemplo, a mesa da sorveteria estiver cheia de guardanapos amassados. Na intimidade do seu quarto, tênis emborcados e meias, cuecas ou toalhas sobre a cama passam impressão de desleixo.
·        A iluminação é indispensável para uma boa foto – você pode até escurecer uma imagem clara demais via software, mas a ação inversa não costuma proporcionar bons resultados. Garanta ainda que o fundo contraste com o elemento principal – uma samambaia na penumbra não terá destaque algum se a parede por trás do vaso for da cor verde-folha.
·        Procure editar suas fotos antes de publicá-las. Para tanto, recorra a aplicativos como o Photoshop Express (disponível para iOS e Android), que, dentre outras coisas, ajustam a exposição e o foco.
·        Posicionar a câmera acima do rosto é um ótimo truque disfarçar o tamanho do nariz (inclinar levemente a cabeça para o lado ou para baixo também ajuda). Ao clicar, sorria; se não conseguir, fique sério. Cara de pato, com aquele biquinho inconcebível, nem pensar.
·        Não confunda foto sensual com pornografia. Nus frontais acintosos, com uma casquinha de sorvete adicionada durante a edição para cobrir o dito cujo (ou a dita cuja) depõem contra o caráter do autor e podem ter um efeito devastador se alguém enviá-las para seus superiores hierárquicos, por exemplo. 
·        O espelho é uma opção caso o seu smartphone não integre uma câmera frontal, mas para tanto o vidro deve estar imaculadamente limpo e o flash, desativado. Prefira bater as fotos em ambientes onde haja fartura de luz natural ou, no caso de luz artificial, cuide para que ela o ilumine de frente (backlights podem tornar sua imagem na foto uma espécie de sombra).
·        Salvo raríssimas exceções, a aproximação da imagem (zoom) através do jogo de lentes nas câmeras de smartphones é muito ruim, e recurso digital deixa a foto granulada, devendo ser evitado a todo custo. Então, ou você chega o mais próximo possível do motivo da sua foto ou clica sem zoom e depois recorre a algum software de edição para redimensionar a imagem.

Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário