segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

ANDROID — APPS PROBLEMÁTICOS — VEJA COMO RESOLVER

NÃO HÁ UMA ESTRADA REAL PARA A FELICIDADE, MAS SIM CAMINHOS DIFERENTES.

Por mais que a tecnologia tenha evoluído nos últimos tempos, programas de computador são escritos por pessoas — seres sabidamente falíveis. Por isso, não existe código “à prova de erros”, seja um simples script de poucas linhas, seja uma monstruosa obra de engenharia computacional como o Windows. E mesmo que os desenvolvedores responsáveis testem exaustivamente seus produtos, alguma coisa sempre passa batida e acaba tendo de ser corrigida a posteriori (mediante um patch ou uma versão revista e atualizada do programa). 

Tenha em mente, também, que os aplicativos são escritos para rodar em plataformas pré-definidas. Se você usa o Chrome tanto num notebook com Windows quanto num smartphone com Android, por exemplo, é porque o Google disponibiliza esse navegador em versões compatíveis com cada sistema (há programas desenvolvidos em linguagens “multiplataforma”, mas isso já é outra história e fica para outra vez).

Passando ao mote desta postagem, usuários do Android costumam se deparar com uma mensagem de erro dando conta de que “Infelizmente o aplicativo X parou de responder”. Ato contínuo, o app (ou, em certos casos, o próprio sistema) é encerrado e, tudo correndo bem, volta a funcionar normalmente depois de ser reiniciado. No entanto, se esse problema passar de eventual a recorrente, experimente fazer o seguinte:

— Toque no ícone da engrenagem (Configurações ou Ajustar, conforme a versão do seu Android) e em Aplicativos > Todos;

— Localize o software problemático, abra a tela correspondente e limpe o cache e os dados do app.

Observação: Reserve essa ação para situações de real necessidade, pois, embora isso faça o programinha ser executado mais rapidamente e, com um pouco de sorte, deixar de travar, a exclusão dos dados elimina pastas, contas e configurações.

Se o app mal comportado não veio instalado de fábrica (situação em que a remoção só é possível se você rootear o aparelho), siga os mesmos passos sugeridos anteriormente, mas, desta feita, toque no botão Desinstalar. Concluído o processo, desligue e religue o smartphone, ative a conexão com a Internet e torne a instalar o app (é recomendável fazer o download a partir do Google Play, que é acessível pelo ícone Play Store).

Observação: Antes de qualquer outra providência, experimente desligar o aparelho e tornar a ligar depois de alguns minutos. Aliás, se você é daqueles que mantém o celular ligado 24/7, saiba que reiniciá-lo a cada dois ou três dias resolve problemas de lentidão e outras anomalias “inexplicáveis” que tendem a ocorrer quando o sistema permanece ativo e operante por muito tempo.

Se nada disso funcionar, reverta seu smartphone às opções de fábrica — mas não antes de fazer backup de todos os dados importantes (agenda de contatos, emails, mensagens, fotos, etc.).

A propósito: considerando o espaço miserável que a maioria dos smartphones oferece, recorrer a um SD Card (desde que seu aparelho ofereça suporte a cartões de memória, o que não é o caso do iPhone) e centralizar o salvamento de vídeos, fotos e outros arquivos importantes (e/ou volumosos) nesse diretório costuma ser uma boa ideia. Assim, você não precisará se preocupar em transferir esses dados quando comprar um smartphone novo e poderá vender ou doar o aparelho velho sem se preocupar com possibilidade de alguém vir a acessar possíveis informações confidenciais que você havia salvado nele (para saber mais como limpar a memória do telefone de maneira a evitar que curiosos recuperem os dados, consulte esta postagem).    
Postar um comentário