quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O WINDOWS 10 E O “PEQUENO EMPURRÃO” DA MICROSOFT

O SILÊNCIO É BOM PARA O SÁBIO E MELHOR AINDA PARA O TOLO.

O WINDOWS 10 foi lançado comercialmente há pouco mais de seis meses, e adotado, até agora, por cerca de 200 milhões de usuários. Parece muito, mas não é, considerando que, embora a Microsoft tenha apostado na gratuidade para acelerar a migração, o velho e confiável Windows 7 continua sendo o sistema operacional para PCs mais usado em todo o mundo, com 56% de participação nesse segmento de mercado.

Não obstante, a empresa de Redmond não dorme de touca. Conforme eu disse nesta postagem, ela tem planos para tornar a evolução compulsória, e com isso atingir a marca do bilhão de usuários que havia alardeado por ocasião do lançamento do TEN, e para “conscientizar” a galera da importância de adotar seu novo rebento o quanto antes, passou a enfatizar os “riscos” que envolvem o uso do Seven.

De acordo com Chris Capossela, chefe de marketing da Microsoft, manter em uso um sistema operacional lançado uma década atrás pode trazer problemas, notadamente quando se adquire uma nova impressora ou um game de última geração, por exemplo, e quem insistir em não migrar para o Windows 10 deve ter em mente que está “por sua conta e risco”. Ainda segundo o executivo, “cabe à Microsoft fazer todo o possível para estimular essas pessoas a atualizar seus sistemas; nós vamos buscar o equilíbrio, mas sabemos que há muitas pessoas por aí que não vão se mexer se não dermos um pequeno empurrão".

Observação: A Microsoft estabelece um “ciclo de vida” para seus produtos (para mais informações, clique aqui) e, como você pode conferir na página de suporte, o Seven teve seu suporte básico suspenso ontem, 13, mas continuará recebendo correções de bugs e atualizações de segurança até 2020, quando então seu suporte estendido será encerrado.

Enfim, o jeito é aguardar para ver que bicho vai dar.
Postar um comentário