sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

PEDRIVES CRIPTOGRAFADOS E OUTRAS SOLUÇÕES PARA PROTEGER SEUS DADOS


HOJE VOCÊ LANÇA AS PALAVRAS; AMANHÃ SENTE OS EFEITOS DELAS.

Embora a figura do backup remonte ao alvorecer da era PC, é grande o número de usuários de computador que amargam a perda de dados pela ação de malwares ou devido a problemas lógicos ou físicos em suas unidades de armazenamento interno (os assim chamados discos rígidos). Para piorar, embora tenham sido usados durante décadas no armazenamento externo e transporte de dados digitais, emboloravam e desmagnetizavam com facilidade, e como o espaço que ofereciam era pra lá de miserável (1.44 MB), arquivos volumosos precisavam ser fragmentados e gravados em vários disquinhos, e bastava um deles “micar” para a vaca ir pro brejo.

Felizmente, os prosaicos disquinhos foram devidamente aposentados pelos pendrives e HDs externos, cujos preços vêm caindo na razão inversa do aumento de sua capacidade de armazenamento. O problema é que esses dispositivos (notadamente os pendrives) são fáceis de perder, e tudo que se perde tem grandes chances de cair em mãos erradas.

Se você usa o pendrive para fazer backups de arquivos de difícil recuperação ou transportar dados de um lado para outro (ou mesmo para ouvir horas e horas de música em .mp3 no player do carro, por exemplo), não há motivo para se preocupar em proteger os dados de possíveis curiosos, mas para quem armazena informações confidenciais, um modelo com criptografia embutida pode ser a melhor solução; embora custe mais caro do que os pendrives convencionais, a tranquilidade proporcionada pela proteção vale cada centavo adicional (clique aqui para mais informações).

Observação: A Kingston lançou dois pendrives criptografados que prometem segurança total dos dados. Os aparelhos são destinados ao uso corporativo, mas também podem ser utilizados por usuários domésticos. Trata-se do DataTraveler 4000 Gen. 2 e do DataTraveler 4000 Gen. 2 Management Ready, que possuem certificação FIPS 140-2 Level 3 e uma trava inviolável que garante a segurança dos aparelhos ao detectar tentativas de acesso, uso ou modificação do módulo de criptografia. Suas informações são protegidas com criptografia baseada em hardware de 256 bits AES no modo XTS e uma capa de titânio revestida de aço inoxidável.

Quem já possui um pendrive de grande capacidade (ou um HD externo) pode criptografá-lo com programinhas como o EncryptStick. Além do preço mais camarada (US$ 14) e da possibilidade de ser testada gratuitamente, a ferramenta acomoda os arquivos criptografados no espaço estritamente necessário, permitindo que você use o restante para armazenar dados que dispensam essa proteção.

E como hoje é sexta-feira:

Quando criou o Homem e os distribuiu pelos quatro cantos do mundo, Deus concedeu a cada povo apenas duas virtudes. Assim, os suíços, Ele os fez estudiosos e respeitadores da lei; os britânicos, organizados e pontuais; os argentinos, chatos e arrogantes; os japoneses, trabalhadores e disciplinados,os italianos, expansivos e românticos; os franceses, cultos e finos; e os Brasileiros, inteligentes, honestos e petistas.
Estranhando o fato, o anjo encarregado de anotar as qualidades perguntou ao Criador:
— Senhor, por que os brasileiros receberão um atributo extra?
— Bem observado — disse o Senhor. — Façamos então uma correção: eles manterão as três benesses, mas não poderão utilizar mais de duas simultaneamente, como os demais povos. Assim, o que for petista e honesto não poderá ser inteligente; o que for petista e inteligente não poderá ser honesto, e o que for inteligente e honesto não poderá ser petista.

Palavras do Senhor.


Bom f.d.s. a todos. 

EM TEMPO: No canto superior direito da nossa home, eu informo os links para três das minhas comunidades na Rede .Link. Para quem ainda não foi lá conferir, segue abaixo uma postagem que eu publiquei hoje em CENÁRIO POLÍTICO TUPINIQUIM.

LULA DECIDIU CONTRATAR UM CRIMINALISTA DE PESO. É O ESPECIALISTA CERTO PARA SUA BIOGRAFIA

Por incrível que pareça, o capo di tutti i capi ainda não é um investigado, embora o cerco se feche e as delações o coloquem no centro do escândalo do petrolão (Oh! Que surpresa!). Mas quem tem c* tem medo, e quem tem uma biografia como a dele não é exceção.

Até alguns dias atrás, Lula ia levando no gogó as acusações que citam seu nome no maior escândalo da história do Brasil: “Conspiração! Antipetismo! Estão tentando destruir o partido! Querem minar a liderança maior da legenda!”, e por aí afora. Mas os dados que começam a vir à luz nas delações premiadas da Lava-Jato levaram-no a contratar o criminalista o Nilo Batista. Segundo a FOLHA, a sugestão foi do deputado federal petista Wadih Damous, ex-presidente da OAB-RJ, que é amigo de Lula, atua como uma espécie de conselheiro em suas questões jurídicas e agora busca ocupar o lugar que foi de Márcio Thomaz Bastos. Mas é visível que lhe falta o cérebro daquele, e que seu fígado é muito mais avantajado. 

Os petistas promovem uma grande gritaria para tentar blindar o “chefe”, que hoje é investigado apenas pela Procuradoria- Geral, em Brasília, por suposto tráfico de influência em favor da Odebrecht — aspecto que é quase marginal no conjunto da Lava-Jato. O PT e o próprio Lula fizeram um balanço da situação e chegaram à conclusão de que os fatos vão convergindo para aquele que governava quase como o Rei-Sol. Se a delação de Fernando Baiano já havia complicado a vida de Lula, a de Nestor Cerveró referendou a do outro (vide postagens anteriores).

Segundo Eliane Castanhêde o empreiteiro Leo Pinheiroda OAS, é uma metralhadora giratória contra tudo e todos, mas sua vítima mais importante é Jaques Wagner, ex-governador da Bahia, ex-ministro da Defesa, atual chefe da Casa Civil e potencial nome do PT para a Presidência em 2018. No coração de um governo que convive com um processo de impeachment, inflação muito acima do teto e do razoável, recessão que se alastra pelo segundo ano seguido e uma angustiante falta de rumo, Wagner trocou de personagem nas manchetes: até 2015, ele ensaiava ser o ministro que dava o tom político do governo; em 2016, virou o ex-governador suspeito de relações perigosas com empreiteiro onipresente.

Nas mensagens de Léo Pinheiro, Lula era chamado de “Brahma” e Wagner, de “Compositor”. Aliás, dentre os tantos apelidos descobertos pela Operação Lava-Jato, até Dilma e Lula tinham um... em conjunto: mensagens obtidas do celular de Pinheiro mostram que executivos da empresa se referiam à dupla como "Luma". "Vai ser duro! Haja Luma [Lula + Dilma]", disse um deles sobre a vantagem de ACM Neto sobre Nelson Pellegrino na campanha à prefeitura de Salvador em 2012, na qual o neto do finado ACM sênior derrotou o candidato petista. Mas isso é assunto para uma próxima postagem.

De momento, cumpre salientar que o Compositor não está sozinho na lista de Léo Pinheiro, que inclui os também ministros Edinho Silva e Henrique Eduardo Alves, além de Edison Lobão, Renan Calheiros e Eduardo Cunha (assim como Pinheiro também não está sozinho, pois integra uma malta de empreiteiros, executivos e lobistas presos, e a lista de delatores só vem crescendo: vem aí Luís Eduardo Campos Barbosa da Silva, o “Robin”, e provavelmente Mauro Marcondes, da Operação Zelotes).

Ouvido pela FOLHA, o criminalista contratado por Lula insistiu na tese da perseguição, mas sabe que isso não passa de conversa mole: “Há um esforço para a criminalização do ex-presidente”. Não diz esforço de quem: “Não quero fulanizar”. Bem, nem conseguiria, uma vez que isso não existe. Trata-se apenas de uma pressão para ver se intimida os investigadores.

Pouco a pouco as coisas vão se encaixando. Agora Lula já tem um criminalista — o especialista adequado para alguém com a sua história.

Para ler a íntegra da matéria publicada por Reinaldo Azevedo em seu Blog, siga o link http://zip.net/bpsJN4.
Postar um comentário