sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

PULSEIRA INTELIGENTE DA XIAOMI — SERÁ QUE VALE A PENA?

MANTENHA SEUS AMIGOS PERTO E SEUS INIMIGOS, MAIS PERTO AINDA.

A Mi Band promete contabilizar passos e calorias, monitorar a qualidade do sono e executar outras tarefas — como o desbloqueio de smartphone com o Smart Lock no Android —, além de permitir ao usuário escolher diferentes cores em seus indicadores luminosos. Veja a seguir uma sinopse da avaliação feita pela PROTESTE ou clique aqui para ler a íntegra da matéria no site da associação.

A chinesa XIAOMI desembarcou no Brasil em meados do ano passado, e embora foque precipuamente o mercado de smartphones — a empresa é a quinta no ranking mundial de vendas de smartphones e a primeira na China —, seu leque de produtos vai bem além disso. Recentemente, ela lançou a Mi Band, que constitui uma boa alternativa para quem curte caminhar, correr ou praticar exercícios afins, tanto pela eficácia quanto pelo preço inferior ao dos produtos similares disponíveis no mercado. 

A pulseira “percebe” quando o usuário adormece, faz medições, exibe os resultados na forma de gráficos e, com base no registro e qualidade do sono, identifica o melhor horário para acordar o usuário. Já seu monitoramento de exercício, que opera como um contador de passos, se mostrou bastante preciso. O relatório de atividades exibe a distância percorrida em quilômetros, a quantidade de calorias perdidas e o número de passos dados. No quesito proteção, o aparelho se mostrou resistente, mesmo durante o banho, mas para utilizá-lo é preciso primeiramente carregá-lo, depois baixar um aplicativo e então proceder ao pareamento com o smartphone.

Antes de comprar o produto — que custa R$95 e só está disponível no site da XIAOMI —, verifique os recursos e a versão do sistema operacional do seu aparelho, pois a Mi Band requer Bluetooth 4.0, Android 4.4 ou superior ou iOS 7.0 ou superior.


E como hoje é sexta-feira:



Bom f.d.s. e até a próxima.
Postar um comentário