quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

WINDOWS 10 ― ÁREA DE TRABALHO

O QUE ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS. É O SILÊNCIO DOS BONS.

O menu Iniciar foi criado quando o Windows passou de interface gráfica baseada no MS-DOS à condição de sistema operacional autônomo ― com o lançamento do WIN95 ―, e mantido em todas as demais versões lançadas até 2012, quando a Microsoft simplesmente resolveu “quebrar a corrente do bem” e eliminar do Windows 8 tanto o menu em questão quanto o botão que lhe dá acesso (tradicionalmente exibido na extremidade esquerda da barra de tarefas). E como quebrar correntes costuma trazer má-sorte (ou pelo menos é isso que reza o folclore da Web), o Eight se revelou um fiasco de crítica e de público, mesmo depois de ser acochambrado para se tornar mais amigável quando operado via teclado e mouse (versão Eight.1).

Ciente de que “errar é humano, mas persistir é burrice”, a empresa de Redmond reincorporou o menu Iniciar no Windows 10. Como nas edições 7 e anteriores, basta clicar no ícone à esquerda da barra de tarefas ou pressionar a tecla com o logo do sistema para convocar o dito-cujo, que, dentre diversos aprimoramentos, passou a exibir blocos dinâmicos configuráveis ― inicialmente, isso pode causar certa estranheza, mas a gente logo percebe que eles são bastante úteis. E, claro, continuam presentes a lista Todos os aplicativos e os atalhos para outros locais no computador, tais como Explorador de arquivos (como foi rebatizado o Windows Explorer) e Configurações (que dá acesso ao conteúdo do Painel de Controle).

Observação: Falando em Painel de Controle, quem gosta de ter amplo acesso aos ajustes do computador ficará feliz em saber que continua sendo possível usar o “Modo de Deus”, que concentra mais de 200 configurações em uma única pasta. Para tanto, dê clique direito num ponto vazio da sua área de trabalho, clique na setinha à direita de Novo, selecione Pasta, dê um clique direito na nova pasta e renomeie-a como XXX.{ED7BA470-8E54-465E-825C-99712043E01C} ― substitua os "XXX” pelo nome que você quiser, mas mantenha o ponto e os caracteres entre as chaves. Feito isso, feche a janelinha, dê duplo clique sobre o ícone e confira o resultado.

Como no Seven, o menu Executar não é exibido por padrão na lista de atalhos do menu Iniciar, embora possa ser convocado facilmente através do atalho de teclado Win+R. Para facilitar o acesso, podemos fixá-lo no menu Iniciar (onde ele será exibido como um novo bloco) ou na barra de tarefas, bastando digitar “executar” (sem aspas) na caixa de pesquisa, dar um clique direito sobre a entrada que será exibida na lista e escolher a opção desejada.

Observação: Diferentemente do Windows 8, o TEN não oferece uma maneira simples e intuitiva, via interface do sistema, para a gente reverter o menu Iniciar ao modo de exibição “clássico”. Talvez seja possível fazê-lo editando o Registro manualmente ou usando alguma ferramenta de Tweak, mas eu ainda não tentei, de modo que vamos deixar essa conversa para outra oportunidade.

Antes de encerrar, uma ressalva: alguns usuários repararam que, depois de realizar o upgrade para o Windows 10, não conseguiam abrir o menu Iniciar pelas vias convencionais. No mais das vezes, isso decorria de incompatibilidades com determinados drivers ou aplicativos (como o antivírus Kaspersky), de modo que bastava atualizar o driver problemático ou remover o aplicativo suspeito para que tudo solucionar o problema. No entanto, é bom saber como criar um atalho para o menu Iniciar na área de trabalho, just in case. Interessado? Então clique aqui e siga os passos do tutorial. 

Por hoje é só, gente. Abraços e até a próxima.
Postar um comentário