quinta-feira, 3 de março de 2016

WINDOWS 10 ― AINDA AS ATUALIZAÇÕES AUTOMÁTICAS

PALAVRAS SÃO DE PRATA, MAS O SILÊNCIO É DE OURO.

No capítulo anterior desta novela, digo, sequência de postagens, vimos que, com o lançamento do Windows 10, a Microsoft alterou sua política de atualizações, dando cabo do tradicional Patch Tuesday (pacote de correções que era liberado na segunda terça-feira de cada mês) e dos Service Packs (pacotes ainda mais abrangentes, que englobavam todas as atualizações disponibilizadas até então para aquela edição do sistema). 

Aproveitando o embalo, a empresa restringiu a ação dos usuários, que até então tinham liberdade para gerenciar as Atualizações Automáticas como bem entendessem (mais detalhes nesta postagem).
No Ten, as opções disponíveis nas configurações avançadas do Windows Update se resumem basicamente a escolher entre Automático (recomendado) e Avisar antes de agendar reinicialização e incluir os demais produtos Microsoft (como o pacote MS Office, por exemplo). Isso evita que a muita gente deixe de atualizar o sistema, mas acaba sendo frustrante para quem gosta de ficar no comando da situação.

Observação: Note que apenas as correções críticas e drivers de dispositivos são instaladas automaticamente; pacotes de idiomas e outras atualizações “opcionais” ficam de fora do processo.

Infelizmente, o mais novo rebento da Microsoft não apresenta uma maneira simples e intuitiva, através da interface do sistema, para desativar as atualizações automáticas, mas os usuários da versão Pro podem fazer esse ajuste no Editor de Políticas de Grupo. Para isso, abra o menu Executar (dê um clique direito sobre o botão Iniciar e escolha a opção respectiva) e, na caixa que será aberta em seguida, digite “gpedit.msc” (sem aspas) e tecle Enter. No painel esquerdo da tela do Editor, navegue pelas chaves Configuração do Computador > Modelos Administrativos > Componentes do Windows > Windows Update, dê duplo clique sobre Configurar Atualizações Automáticas, mude a configuração para Desabilitado, confirme em OK reinicie o computador.

Observação: Caso queira desativar a atualização automática e apenas ser alertado sobre novas atualizações, selecione Habilitado e, logo abaixo, escolha Avisar antes de baixar e instalar qualquer atualização. Reinicie então o computador e repare que, daí por diante, o Windows 10 só irá instalar atualizações se você autorizá-lo expressamente a fazê-lo.

O problema é que, como nas edições anteriores do Windows, a versão Home do Ten não dispõe do gpedit ― ao tentar convocá-lo via menu Executar, você receberá a seguinte mensagem: “O WINDOWS NÃO PODE ENCONTRAR ‘GPEDIT.MSC’. CERTIFIQUE-SE DE QUE O NOME FOI DIGITADO CORRETAMENTE E TENTE NOVAMENTE”. Mas a boa notícia é que é possível instalar o recurso ausente copiando os arquivos necessários de outro computador (que tenha a versão PRO), embora seja mais fácil fazer o download a partir deste link e instalá-lo seguindo o tutorial apresentado neste vídeo (faça-o por sua conta e risco, e não sem antes criar um ponto de restauração no seu sistema; afinal, cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém).

Observação: Para criar um ponto de restauração no Windows 10, digite “criar ponto” (sem as aspas) no campo de pesquisas da barra de tarefas, clique na opção “Criar ponto de restauração ― Painel de controle” e, na janelinha que irá se abrir em seguida, clique no botão Criar, dê ao novo ponto o nome desejado, torne a clicar em Criar, aguarde a conclusão do processo e, ao final, confirme e encerre.

Se você achou complicado o procedimento descrito acima (a instalação do gpedit, não a criação do ponto de restauração), saiba que é possível obter o mesmo resultado através de um procedimento bem mais simples, que não exige downloads nem instalações adicionais, mas isso será objeto do próximo capítulo da nossa novela. Abraços e até lá.
Postar um comentário