terça-feira, 19 de abril de 2016

COMPUTADOR NOVO ― PARTE III

DÓI MAIS TER ALGO E PERDER DO QUE NUNCA TER TIDO.

Vimos que os fabricantes de PCs instalam uma porção de programinhas que não têm a menor serventia para os usuários, mas que invariavelmente ocupam espaço no disco e disputam recursos valiosos (notadamente memória e ciclos de processamento) com os aplicativos úteis. Portanto, depois de concluir as providências de que tratamos nas postagens anteriores, faça uma faxina em regra e elimine o crapware ― isto é, tudo aquilo de que você não precisa.

Abrindo o menu Iniciar e clicando em Todos os aplicativos, você terá uma ideia do que se encontra instalado no seu computador, mas se clicar em Configurações > Sistema, selecionar Aplicativos e recursos, poderá não só conferir a lista completa dos aplicativos, mas também selecionar aqueles que forem dispensáveis e removê-lo pressionando o botão Desinstalar. No entanto, o melhor mesmo é se valer de uma ferramenta dedicada, como o IOBit Uninstaller ― ele integra a suíte de manutenção Advanced System Care, mas você pode instalá-lo isoladamente a partir deste link. A grande vantagem é que, depois de executar o desinstalador do próprio aplicativo, esse valioso utilitário varre o disco à cata de “sobras” indesejáveis e as elimina mediante um simples clique do mouse.

Observação: Para sabe mais sobre a maneira correta de desinstalar programas, reveja esta postagem.

Supondo que você não se sinta à vontade para separar o joio do trigo, o SlimComputer e o  PCDecrapfier podem ser uma mão na roda. O primeiro se propõe a desabilitar serviços, remover links, desinstalar softwares inúteis e barras de navegador indesejáveis, além de otimizar serviços e desativar a inicialização automática de aplicativos que não precisam carregar junto com o Windows (se preferir, baixe a versão portátil, que pode ser levada num pendrive e utilizada em qualquer computador). O segundo dispensa qualquer tipo de instalação e oferece os préstimos de assistentes que fazem o trabalho utilizando telas passo a passo. Basta escolher as opções desejadas e clicar em “Next” para dar andamento ao processo, o que torna a utilização do programinha fácil e segura, mesmo para leigos e iniciantes. Mas não deixe de aceitar a sugestão do assistente quanto à criação de um ponto de restauração do sistema ; afinal seguro morreu de velho.

Não custa lembrar que, mesmo sendo extremamente versátil, o Windows não provê todos os recursos de que necessitamos no dia-a-dia ― e nem lhe caberia fazê-lo, até porque a função precípua de um sistema operacional é servir de base para os demais aplicativos. Assim, vemo-nos obrigados a instalar diversos programas ― de segurança, produtividade, manutenção, entretenimento, etc. ―, mas isso não significa entupir o disco com toneladas de freewares inúteis, até porque, como já discutimos em outras oportunidades, isso degrada o desempenho do sistema e pode até comprometer a segurança do computador. Aliás, volto a recomendar que você recorra sempre que possível a serviços online, que são executados partir do navegador e, portanto, dispensam instalação e consequente remoção.

Amanhã a gente conclui, pessoal. Abraços e até lá.
Postar um comentário