quinta-feira, 14 de abril de 2016

O QUE FAZER AO COMPRAR UM COMPUTADOR NOVO

CANDEIA QUE VAI À FRENTE ALUMIA DUAS VEZES.

Se você está pensando em migrar para o Windows 10 e pretende fazê-lo mediante a compra de um computador novo, tenha em mente que será preciso adotar algumas providências importantes antes de começar a usar a máquina.

Em linhas gerais, você deverá primeiramente atualizar o sistema e seus componentes ― se lhe parece estranho que uma máquina novinha em folha tenha atualizações pendentes, lembre-se de que muita água rolou por baixo da ponte desde o lançamento da edição do Windows pré-carregada no aparelho, pois os arquivos de instalação utilizados pelo fabricante não incluem (e nem poderiam incluir) as atualizações criadas e liberadas pela Microsoft após a gravação da mídia utilizada na instalação do programa.

Então, concluídas as configurações e personalizações básicas ― tais como criação de uma conta de usuário, definição da senha de logon, ajuste do idioma, fuso horário, hora e data, configuração de rede para acesso à Internet (cabeada e Wi-Fi) e outras que tais ―, é fundamental rodar o Windows Update e aplicar todas as atualizações/correções críticas disponíveis para a edição/versão do seu Windows. Note que a primeira atualização pode exigir que o Windows Update seja executado diversas vezes, pois algumas atualizações só instalam depois que outras sejam efetivadas, o que pode exigir várias reinicializações do computador. Portanto, muna-se de paciência e só dê o assunto por encerrado quando for exibida a informação de que não existem atualizações pendentes.

Observação: Máquinas de grife trazem o Windows em OEM ― modalidade de distribuição de software mediante a qual as empresas "parceiras" da Microsoft adquirem as licenças "em lote", que saem mais em conta do que as cópias FPP (vendidas no varejo em lojas credenciadas). Vale lembrar que é comum o fabricante fazer personalizações ― incluir programas próprios e de terceiros, drivers de chipset e de dispositivos, etc. ― e, em vez de fornecer o DVD original ou uma cópia customizada, criar uma partição oculta no HD com os "arquivos de restauro", a partir dos quais o usuário pode reverter o software às configurações de fábrica (mais detalhes na trinca de postagens iniciada por esta aqui).

Concluída a atualização do sistema operacional e respectivos componentes, assegure-se de que o Windows Defender e o Firewall do Windows estejam ativos, operantes e devidamente atualizados. Num primeiro momento, eles lhe oferecerão proteção adequada para você acessar a Web e baixar sua suíte de segurança preferida. Entre as opções pagas, não deixe de avaliar o Norton Security , o Avast Premier e o BullGuard Internet Security, dentre tantas outras opções que você pode avaliar gratuitamente por um período que varia conforme o fabricante, mas que geralmente é suficiente para decidir qual delas licenciar).

Claro que existem inúmeras opções gratuitas ― dentre as quais eu sugiro o Avast Free Antivírus 2016, o AVG Antivírus Protection Free, o Avira Free Antivírus, o Bitdefender Antivírus Free Edition e o Panda Cloud Antivírus Free, só para citar as mais conhecidas. Nesse caso, no entanto, você não terá suporte técnico por telefone nem aplicativo de firewall incorporado ou outros mimos que costumam integrar as suítes pagas, mas poderá aprimorar seu arsenal de segurança sem gastar um tostão instalando um firewall gratuito ― como o Comodo Free Firewall ou o festejado ZoneAlarm Free Firewall 2016, dentre tantos outros ―, um antispyware gratuito ― como os excelentes SuperAntispyware e IOBit Malware Fighter 4 Free ― na dúvida, fique com os dois, e, de quebra, instale também o excelente Malwarebytes Antimalware, que não oferece proteção em tempo real na versão gratuita e, portanto, não conflita com seu antivírus.

Por hoje é só, pessoal. Amanhã a gente continua.
Postar um comentário