segunda-feira, 27 de junho de 2016

E DESSAS, VOCÊ SABIA?



A VERDADE POSSUI TRÊS ESTÁGIOS: NO PRIMEIRO, ELA É RIDICULARIZADA, NO SEGUNDO, REJEITADA COM VIOLÊNCIA, E NO TERCEIRO, ACEITA COMO SENDO EVIDENTE POR SI MESMA. 

Talvez você tenha um iPod, iPhone, iPad, iMac, iBook ou outro gadget produzido pela festejada Apple e não saiba o que significa “i” minúsculo que precede o nome do aparelho. A explicação mais comum remonta ao lançamento do iMac (o primeiro produto da empresa a agregar a letra em questão ao nome), quando o falecido Steve Jobs, que então era o CEO da companhia, disse que o “i” remetia à Internet.

Vale lembrar que o iMac foi lançado em 1998, época da explosão da “explosão” da Web e dos computadores pessoais, e que o maior atrativo da linha de produtos da Maçã era a promessa de acesso à internet de maneira simples e rápida. Mas há quem afirme que o “i” remete a “individual” (de individualidade), “instruct” (de educação), “inform” (de informação) ou “inspire” (de inspiração). Então, na próxima sessão espírita, não se deixe de pedir ao médium que invoque o espírito de Jobs e esclareça de vez essa questão, e depois conte pra gente o que ele falou.

Outra curiosidade digna de nota é a famosa paisagem usada com plano de fundo padrão (ou papel de parede, ou ainda wallpaper) pela Microsoft no Windows XP. Para mim, ela sempre cheirou ao TELETUBBIES ― programinha infantil produzido pela BBC e apresentado entre 1997 e 2002, conforme, aliás, acho que cheguei a mencionar de passagem no livrinho que escrevi sobre essa versão do Windows para a saudosa Coleção Guia Fácil Informática. Mas depois eu descobri que uma coisa nada tem a ver com a outra.

Na verdade, a foto em questão ― que se chama Bliss (“felicidade” ou “alegria”) ― foi tirada pelo fotógrafo norte-americano Charles O’Rear, em janeiro de 1996, quando o contraste do verde do gramado com o azul do céu claro e com poucas nuvens da região de Napa Valley (ao norte de San Francisco, na Califórnia) despertou-lhe a atenção. Sorte dele, pois estima-se que essa foto foi a segunda mais bem paga da época, perdendo apenas para a do então ex-presidente Clinton com a estagiária Monica Lewinsky. O valor nunca foi divulgado, mas certamente daria para comprar milhares de caixas do melhor charuto cubano.

Abraços e até a próxima.
Postar um comentário