segunda-feira, 27 de junho de 2016

E DESSAS, VOCÊ SABIA?



A VERDADE POSSUI TRÊS ESTÁGIOS: NO PRIMEIRO, ELA É RIDICULARIZADA, NO SEGUNDO, REJEITADA COM VIOLÊNCIA, E NO TERCEIRO, ACEITA COMO SENDO EVIDENTE POR SI MESMA. 

Talvez você tenha um iPod, iPhone, iPad, iMac, iBook ou outro gadget produzido pela festejada Apple e não saiba o que significa “i” minúsculo que precede o nome do aparelho. A explicação mais comum remonta ao lançamento do iMac (o primeiro produto da empresa a agregar a letra em questão ao nome), quando o falecido Steve Jobs, que então era o CEO da companhia, disse que o “i” remetia à Internet.

Vale lembrar que o iMac foi lançado em 1998, época da explosão da “explosão” da Web e dos computadores pessoais, e que o maior atrativo da linha de produtos da Maçã era a promessa de acesso à internet de maneira simples e rápida. Mas há quem afirme que o “i” remete a “individual” (de individualidade), “instruct” (de educação), “inform” (de informação) ou “inspire” (de inspiração). Então, na próxima sessão espírita, não se deixe de pedir ao médium que invoque o espírito de Jobs e esclareça de vez essa questão, e depois conte pra gente o que ele falou.

Outra curiosidade digna de nota é a famosa paisagem usada com plano de fundo padrão (ou papel de parede, ou ainda wallpaper) pela Microsoft no Windows XP. Para mim, ela sempre cheirou ao TELETUBBIES ― programinha infantil produzido pela BBC e apresentado entre 1997 e 2002, conforme, aliás, acho que cheguei a mencionar de passagem no livrinho que escrevi sobre essa versão do Windows para a saudosa Coleção Guia Fácil Informática. Mas depois eu descobri que uma coisa nada tem a ver com a outra.

Na verdade, a foto em questão ― que se chama Bliss (“felicidade” ou “alegria”) ― foi tirada pelo fotógrafo norte-americano Charles O’Rear, em janeiro de 1996, quando o contraste do verde do gramado com o azul do céu claro e com poucas nuvens da região de Napa Valley (ao norte de San Francisco, na Califórnia) despertou-lhe a atenção. Sorte dele, pois estima-se que essa foto foi a segunda mais bem paga da época, perdendo apenas para a do então ex-presidente Clinton com a estagiária Monica Lewinsky. O valor nunca foi divulgado, mas certamente daria para comprar milhares de caixas do melhor charuto cubano.

Abraços e até a próxima.

2 comentários:

Martha disse...

Oi Fernando
Muito legal e informativo o post!!!!
Não sabia nada disso....
Vivendo e aprendendo com o nosso guru da informática...rsrsrs
Bjs e obrigada sempre!!!!!

Fernando Melis disse...

Oi, Martha.
Cultura inútil, diriam alguns. Mas achei que valia a pena postar. Afinal, somos obrigados a aturar tanta informação adversa e revoltante, ultimamente, que, por vezes, uma postagem mais inconsequente e descontraída ajuda a quebrar o siso.
Beijo grande, doutora. Depois vou lhe enviar por email um link que encontrei por acaso, durante uma troca de informações com um colega lá da .LINK, do qual eu acho que você vai gostar.