quarta-feira, 8 de junho de 2016

VEJA COMO LIMPAR ADEQUADAMENTE DISPLAYS TOUCH SCREEN

QUANDO POBRE COME VITELA, UM DOS DOIS ESTÁ DOENTE.

Um dos grandes inconvenientes das telas sensíveis ao toque é a sujeira que elas acumulam com o uso normal do dispositivo. E nos smartphones o problema é ainda maior, já que esses gadgets são nossos companheiros de todas as horas. 

Mesmo com aquela película transparente, destinada a evitar riscos e outros danos ao display, basta que a gente atenda uma chamada ou leia uma mensagem de texto para a gordura natural da pele (do rosto ou dos dedos) deixar nódoas no visor. Isso sem mencionar a poeira que, inexplicavelmente, consegue se acumular debaixo da tal película. E o pior é que, uma vez removida essa película para eliminar o pó, dificilmente conseguiremos reaproveitá-la.

Durante a fabricação, a maioria das telas desses aparelhos ― e aí se incluem também os tablets e laptops mais modernos ― é submetida a uma série de processos químicos que visam maior resistência e as deixa-las eletricamente carregadas para que respondam aos toques. Por outro lado, isso deixa as superfícies mais sensíveis a determinadas substâncias, e usar um produto inadequado para a limpeza pode resultar numa emenda pior que o soneto. Mas alguns cuidados básicos podem ajudar um bocado. Confira:

― Seja qual for o método de limpeza que você pretenda utilizar, desligue primeiro o aparelho. Se for estender a faxina ao interior do gabinete ― que acumula um bocado de poeira ―, remova a bateria e sopre o compartimento usando um spray de ar comprimido, um aspirador de pó reversível, ou mesmo um secador de cabelos (ajuste a chave seletora de temperatura para “frio” ou “desligado”).

― Para uma limpeza básica do display, use um pano macio e antiestático (como aqueles de microfibras, que vêm nas caixinhas de óculos, mas, na falta deles, uma camiseta de algodão quebra o galho). Não faça movimentos circulares; passe o pano delicadamente de dentro para fora.  

― Se houver manchas ou marcas mais “teimosas”, umedeça levemente o paninho numa solução fraca de água destilada (ou filtrada, já que o cloro pode propiciar o surgimento de manchas de difícil remoção) e álcool isopropílico ou ácido acético. Note que umedecer não é encharcar ― torça bem o pano antes de colocá-lo em contato com a tela do aparelho, e prefira o álcool ao vinagre, pois ele evapora mais depressa e reduz o risco de danos, no caso de penetrar no aparelho.

Observação: Jamais utilize produtos destinados à limpeza doméstica de vidros, tais como Veja, Vidrex e afins. Suas fórmulas contêm amônia e outros elementos capazes de danificar as delicadas touch screens. Melhor mesmo seria recorrer a soluções de limpeza próprias para esse tipo de tela, como o kit iKlenz, que é homologado pela Apple.

Para tirar (ou suavizar) riscos, esfregue gentilmente uma borracha escolar (daquelas brancas, que são mais macias) sobre a região afetada, limpe com um pano seco e, se necessário, repita o procedimento. Se não resolver, aplique uma gota de vaselina líquida num chumaço de algodão (ou umedeça a ponta de um cotonete), passe sobre o risco e remova o excesso com um pano limpo. Alternativamente, use óleo de cozinha ou creme dental (não abrasivo), embora esses produtos não sejam tão eficazes nem seguros quanto a vaselina.

Por fim, mas não menos importante, evite esfregar a tela na roupa ou usar lenços, papel higiênico, toalhas umedecidas ou assemelhados para a limpeza, e jamais lave o aparelho sob água corrente ou por imersão, mesmo que ele seja supostamente impermeável (alguns modelos se dizem à prova d’água, mas, na prática, a teoria costuma ser outra).

Abraços a todos e até a próxima. 
Postar um comentário