terça-feira, 26 de julho de 2016

GAMBIARRA QUE DÁ CERTO


A JORNADA NÃO ACABA COM A MORTE, APENAS SEGUE POR UM OUTRO CAMINHO.

Você finalmente comprou sua nova TV de altíssima definição, com tela gigante, conexão Wi-Fi e Bluetooth, suporte nativo ao Netflix e uma porção de outros mimos. Custou caro, mas valeu cada centavo, você diz para seus botões. Pena que o som não seja lá uma Brastemp, com aqueles graves retumbantes e agudos bem definidos, que, no cinema, parecem brotar das paredes.

Mas não faz sentido nadar tanto para morrer na praia: uma tela como essa, que o coloca dentro da cena do filme, do jogo ou da corrida, e um sonzinho chinfrim? Sem chance. Então você resolve comprar um Home Theater.

Depois de esquadrinhar as características de dezenas de aparelhos, você se embebeça por um modelo da SONY com design bonito e elegante, potência de sobra e fartura de opções de conectividade, além de comandos intuitivos e menu fácil de navegar. Não fosse o preço, seria sopa no mel: o brinquedinho custa quase tanto quanto você pagou (ou vai pagar, porque dividiu a mordida em parcelas a perder de vista) pela sua nova TV. E em dias bicudos, como os atuais, castigar o já combalido orçamento com mais uma prestação não é uma boa ideia.

Todavia, é possível incrementar o som da TV sem abrir mão do jantar semanal na churrascaria, por exemplo, ou de outro entretenimento caro, mas prazeroso, que você ainda se dá ao luxo de usufruir. Basta comprar um bom conjunto de caixas de som 2.1 para PCs (se puder investir um pouco mais, escolha um modelo 5.1). Há opções a partir de R$20, mas as melhores custam entre R$100 e R$300 ― e como diz um velho ditado, “quem paga mal paga duas vezes”.

Antes de correr para a loja (ou de encomendar o produto num site de e-commerce), verifique se sua TV tem um conector identificado como Audio Out ou Headphone Out. A maioria dos aparelhos fabricados nos últimos dez anos tem. Aí é só conectar as caixinhas ao televisor, plugar o cabo de energia na tomada e posicioná-las de modo a obter a melhor experiência acústica.

Note que será preciso comprar também um adaptador RCA Estéreo/P2 se a saída da sua TV for do tipo RCA. Mas esse complemento custa barato e pode ser encontrado em qualquer loja de eletrônica ou de suprimentos para informática.

Boa diversão. 

4 comentários:

Martha disse...

Oi Fernando
Eu não tenho do que reclamar....
O som da Samsung é excelente ; a Sony tb é maravilhosa mas em relação ao som , deixa a desejar. Nunca precisei usar caixas de som mas achei a dica ótima e prática !
Bjs e obrigada sempre!!!!

Fernando Melis disse...

Oi, Martha.
Dizem que a Necessidade é a mãe da Invenção (risos).
Obrigado por mais essa, meu bem. Beijos e até mais ler.

Anônimo disse...

Olá Frenando

É exatamente assim. Grande tv,pequeno som.
Quando mandei minha antiga tv 33" crt para sucata,retirei os exelentes alto falantes e twitters "made in Japan", para algum uso futuro.
Mas como marcenaria não é meu forte, não sei fazer caixas e mandar fazer inviabiliza completamente o projeto(econômicamente falanndo), desisti.
O que acho curioso nestas tv´s novas é que o som é melhor para que esta atrás delas. Pelo menos na minha.

[ ]

Fernando Melis disse...

Oi, Anônimo.
Verdade, a LG que eu tenho no quarto, por exemplo, fica num nicho na estante. Da cama, eu preciso aumentar o volume para poder ouvir, mas de outros pontos da suíte (como dentro do banheiro, se a porta de comunicação com o quarto ficar aberta), a impressão que se tem é de a TV estar berrando. Literalmente.
Enfim, as caixinhas custam barato e proporcionam bons resultados. No entanto, antes de sacar seu poderoso cartão de crédito, você pode avaliar os resultados usando as caixas de som do seu computador, caso tenha um desktop (com caixas acústicas amplificadas, de preferência).
Valeu por participar. Abraços e até mais ler.