sábado, 16 de julho de 2016

PODER JUDICIÁRIO ― CONFIAR DESCONFIANDO

Dias atrás, o presidente do STF, Ricardo Lewandowskienviou ofício ao juiz Moro pedindo informações sobre atos que permitiram e divulgaram gravações de conversas de Lula com diversos políticos, dirigentes partidários e sindicais nas investigações da Operação Lava-Jato
O pedido decorre de uma ação protocolada por advogados do petista, que, apontando “usurpação de competência” ― pelo fato de algumas pessoas envolvidas gozarem do direito a foro privilegiado, como era o caso do ex-ministro Jaques Wagner ―, postulam a anulação da validade, como prova, das gravações. Em outras palavras, a intenção do capo di tutti i capi é, se não puder mesmo evitar ser investigado e julgado, pelo menos que o seja na esfera do STF ― embora, vale lembrar, ele não tenha direito a foro privilegiado.
ObservaçãoOs grampos não foram utilizados na instrução dos processos na Lava-Jato. A intenção do juiz Moro era mostrar à nação como Lula e Dilma agiam nos bastidores. O petralha até pode conseguir que as gravações sejam barradas, mas isso não o livrará das garras do que ele batizou de “República de Curitiba”. Daí se vê que, em termos de estratégia, Moro dá de lavada no presidente do STF. 
Relembrando: Lewandowski, amigo pessoal da “Famiglia Lula”, adotou postura de advogado de defesa durante o julgamento do mensalão, e desde então sua presença no STF é uma mancha à imagem de independência da instituição. Como reação espontânea, a sociedade resolveu criar bonecos do ministro, como já havia feito com o Pixuleco de Lula e com os bonecos de Dilma e Cunha. Mas mexer com o todo-poderoso ministro, isso não pode! Aí a liberdade de expressão vai para as cucuias. Prova disso é o STF ter determinado à PF que investigue e responsabilize os manifestantes que inflaram bonecos de Lewandowski e Rodrigo Janot, durante ato na Avenida Paulista, em 19 de junho passado. O ofício é assinado pelo secretário de segurança do Supremo, Murilo Maia ― subordinado a Lewandowski ― e endereçado ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello.
No documento, Maia pede, “em caráter de urgência”, medidas para que os responsáveis por inflarem os bonecos sejam “chamados à responsabilidade” e que a PF empenhe “todos os esforços” para interromper “nefasta campanha difamatória contra o Chefe do Poder Judiciário, de maneira a que esses constrangimentos não mais se repitam”.
Até quando Lewandowski vai permanecer no STF? Ele jamais deveria estar lá, pois, assim como Dias Toffoli, ele é próximo demais da turma petista. No mínimo, ambos deveriam ter se dado por impedidos para julgar o PT nos casos do mensalão e petrolão. Mas não o fizeram. E continuam dando sinais de partidarismo e também autoritarismo, como no caso dos bonecos. É um STF maculado, o que nunca é bom para o país.
(Clique aqui para ler o artigo original no blog de Rodrigo Constantino).

2 comentários:

Martha disse...

Oi Fernando
Ninguém sabe como tudo vai se desenrolar mas acredito que algo mude no STF....não por crise de consciência, mas por ser verem no meio de uma lama maior do que eles mesmo imaginam e , consequentemente, conspurcando aspirações posteriores....
Infelizmente é um jogo com cartas não marcadas mas que são distribuídas de acordo com mil interesses....menos em relação ao povo, naturalmente.
Bjs e continuemos a orar pelo nosso Brasil!!!

Fernando Melis disse...

Oi, Martha.
Não percamos a esperança. Afinal, ela é tudo que nos resta.
Beijo grande, bom sábado e até amanhã.