sexta-feira, 2 de setembro de 2016

COMO REMOVER VÍRUS DO PENDRIVE

CUIDADO COM O QUE VOCÊ DESEJA. ÀS VEZES, NÃO CONSEGUIR O QUE VOCÊ QUER É UMA TREMENDA SORTE.

As pragas eletrônicas ― criadas experimentalmente em meados dos anos 50, e que, 30 anos depois, foram batizadas como “vírus” por terem características semelhantes às de seus correspondentes biológicos ― continuam ativas e operantes. No entanto, diferentemente dos códigos maliciosos que grassavam lá pela virada do século, quando os usuários de PCs passaram a acessar a Internet, os malwares ― termo usado para designar qualquer praga digital, dos vírus tradicionais aos worms, dos trojans aos adwares e spywares) que ora nos ameaçam não buscam provocar danos nos sistemas, mas sim invadir nossa privacidade em busca de informações confidenciais/pessoais, notadamente senhas bancárias e números de cartões de crédito, o que os torna ainda mais nocivos.

Para piorar, a popularização dos pendrives, cartões de memória e HDs externos contribuiu para aumentar significativamente o perigo de infecção, já que esses dispositivos servem para armazenar e transportar dados, e, portanto, é comum a gente os conectar no computador da escola, do escritório, da namorada, do cibercafé, e assim por diante. E a despeito de a segurança dos sistemas vir sendo aprimorada a cada nova edição, o risco continua existindo, até porque a maioria dos usuários de desktops, notebooks, tablets e até smartphones não dá a devida importância algumas recomendações básicas, mas funcionais, que podem fazer toda a diferença.

Caso seu pendrive (ou cartão de memória, ou HD USB) seja infectado, o melhor a fazer é formatá-lo, já que esse processo apaga todas as informações armazenadas, inclusive os eventuais códigos maliciosos. No entanto, se você não tiver criado um backup das fotos de família, declarações de rendimentos, lista de senhas e outros arquivos pessoais importantes que gravou no dispositivo, bye, bye. Então, para não resolver um problema e criar outra (possivelmente ainda maior), vale tentar antes uma solução menos radical, como veremos na próxima postagem.

E como hoje é sexta-feira:

Pedro era um empresário bem-sucedido, mas complexado, porque não tinha as orelhas. Certa vez, ao precisar de um novo gerente, ele selecionou três currículos e marcou as entrevistas.
O primeiro candidato era ótimo. Conhecia tudo e era muito interessado. Ao final da conversa Pedro, perguntou:
- Você percebeu alguma coisa diferente em mim?
E ele respondeu:
- Sim, não pude deixar de reparar que o senhor não tem orelhas.
Pedro achou a franqueza rude e dispensou o candidato.
A segunda da lista era uma mulher, ainda melhor talhada para o cargo do que o candidato anterior. Entusiasmado, Pedro fez a pergunta:
- Você percebeu alguma coisa diferente em mim?
E ela:
- Bem, você não tem orelhas.
Pedro mandou-a embora e chamou o último, que era jovem, boa pinta, bem-falante, recém-formado e muito competente. Sem perder tempo, Pedro disparou a fatídica pergunta:
- Você percebeu alguma coisa diferente em mim?
Para sua surpresa, o jovem respondeu:
- Sim, você usa lentes de contato.
Satisfeito, Pedro apertou a mão do rapaz e disse:
- Está contratado. Você é um observador incrível. Mas, cá entre nós, como reparou que uso lentes?
O moço caiu na risada:

- Ora, porque é difícil pra cacete usar óculos sem ter as malditas orelhas!

Um comentário:

Martha disse...

Oi Fernando
Adorei a piada !!!! Rsrsrs
Eu nunca tive problemas nesse sentido, graças a Deus.
Tive que usar um pen drive no hospital mas ainda não sei se foi infectado...Uma boa pergunta:como fazer para ver se houve alguma coisa depois que eu usei sem afetar meu PC? Conecto e rodo algum programa no dispositivo?
Bjs e obrigada sempre!!!