terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O MELHOR NAVEGADOR ― Conclusão

"ALLES HAT EIN ENDE, NUR DIE WURST HAT ZWEI." (TUDO TEM UM FIM, SÓ A SALSICHA TEM DOIS).

Os cinco navegadores de internet mais utilizados mundialmente são, pela ordem, o Google Chrome, o Mozilla Firefox, o Edge (da Microsoft), o Safari (da Apple) e o Opera. Na postagem anterior, vimos alguns detalhes sobre o Opera, o Edge e o Firefox; nesta, que conclui a sequência, nosso mote é o Chrome, que conta com a preferência de 60% dos internautas (em âmbito mundial; no Brasil, esse percentual passa do 80%, enquanto o segundo colocado não chega a 10%, como se vê no gráfico acima).

A excelência da ferramenta de buscas mais usada em todo o mundo se estende também ao navegador do Google, que é rápido, fácil de usar e personalizar (devido ao vasto leque de extensões disponíveis no Google Webstore). Entre seus diferenciais, impõe-se destacar o gerenciador de tarefas nativo ― que permite visualizar o consumo de memória e de rede dos sites e extensões que estão sendo executados e finalizar eventuais processos gulosos ou desnecessários com um simples clique do mouse ― e os leitores nativos de Flash e PDF. Embora o programa apresente basicamente as mesmas características dos concorrentes (a maioria das quais se tornou padrão), no Chrome, todas elas funcionam muito bem. A navegação in-private, por exemplo, elimina efetivamente os cookies, senhas e histórico da navegação ao final de cada sessão, além de permitir que janelas anônimas e normais sejam abertas concomitantemente.

Na avaliação da Oficina da Net (vide postagem anterior), o Chrome e o Opera foram considerados as melhores opções; o segundo, por consumir bem menos recursos do PC, é indicado especialmente para quem redige textos, edita imagens ou realiza tarefas afins ao mesmo tempo em que navega na Web, assiste a vídeos e acessa redes sociais. Mas nem por isso você deve deixar de consideras as demais opções mencionadas neste comparativo, até porque, atualmente, a escolha do “melhor” navegador tem mais a ver com preferências pessoais do que com características técnicas e gama de recursos.  

Vale salientar (mais uma vez) que não há problema algum em instalar vários navegadores no PC e usá-los concomitantemente. Eu, por exemplo, tenho o Firefox configurado como padrão, uso o Chrome como segunda opção e o Avast SafeZone Browser (que integra a suíte de segurança Avast Premier) para netbanking e compras virtuais, mas posso ainda recorrer a qualquer momento ao IE ou ao Edge ― que são componentes nativos do Windows 10 ―, sem falar no Opera, que instalei para embasar este comparativo e, ao final, resolvi manter no meu arsenal ― como diz um velho ditado, “o que abunda não excede”.

LULA LÁ – E AGORA É PENTA!

Na manhã de ontem, o juiz Sergio Moro aceitou mais uma denúncia contra Lula, que SE TORNOU RÉU PELA QUINTA VEZ. Desta feita, ele foi apontado como comandante de uma “sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar assentada na distribuição de cargos públicos na Administração Pública Federal”.

Ao som da mesma valsa, dançaram também Marcelo Odebrecht, por corrupção ativa e lavagem de dinheiro; Antonio Palocci e Branislav Kontic, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; e Paulo MeloDemerval GusmãoGlaucos da CostamarquesRoberto Teixeira e Marisa Letícia Lula da Silva, por lavagem de dinheiro.

A maracutaia teria tido início com a nomeação de Paulo Roberto Costa e Renato Duque para as diretorias de Abastecimento e de Serviços da Petrobras, respectivamente, que, segundo a denúncia, foram os responsáveis pela geração dos recursos usados para enriquecimento ilícito do petralha, de agentes políticos e das próprias agremiações que participavam do loteamento dos cargos públicos.

A propina, que variava entre 2% e 3% nos oito contratos celebrados entre a Estatal e a Construtora Norberto Odebrecht S/A, totalizou o montante de R$ 75.434.399,44 ― parte do qual teria sido “lavada” mediante a aquisição de um imóvel destinado à instalação do Instituto Lula. O pagamento à “alma viva mais honesta do Brasil” foi intermediado pelo então deputado federal Antonio Palocci, com o auxílio de seu assessor parlamentar Branislav Kontic, que trataram diretamente com Marcelo Odebrecht e Paulo Melo da instalação do espaço institucional do ex-presidente. A compra do imóvel, feita em nome da DAG Construtora Ltda. com recursos originados da Construtora Norberto Odebrecht, foi operada por Roberto Teixeira, advogado de Lula, que se encarregou da lavagem do dinheiro.

O valor total de vantagens ilícitas até setembro de 2012 chegou a R$ 12,4 milhões, como comprovam anotações do próprio Marcelo Odebrecht, além de planilhas apreendidas na sede da DAG e dados obtidos mediante quebras de sigilos bancários. Parte das propinas destinadas a Glaucos da Costamarques ― primo do ex-primeiro amigo José Carlos Bumlai, lembra dele? ― foi repassada a Lula através da compra da cobertura contígua à sua residência em São Bernardo de Campo, adquirida por R$ 504 mil em nome de Costamarques, que serviu como “laranja” em ambas as transações (ambas articuladas pelo advogado Roberto Teixeira). Para disfarçar a real propriedade do apartamento, um contrato de locação foi simulado entre a ex-primeira dama Marisa Letícia e Costamarques, em fevereiro de 2011, mas as investigações apuraram que não houve pagamento de aluguel ― pelo menos até novembro de 2015.

Conclusão dos fatos: LULA AGORA É RÉU EM CINCO AÇÕES CRIMINAIS: duas da Lava-Jato no Paraná, uma na Operação Zelotes, uma na Operação Janus e uma no âmbito da Lava-Jato em Brasília.

Lula lá! Em cana!

Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/
Postar um comentário