quarta-feira, 1 de março de 2017

ATUALIZAÇÃO DO FLASH PLAYER

A CORRUPÇÃO É O FRUTO PODRE DA NOSSA INDIFERENÇA POLÍTICA.

Plugins, como sabemos, são programas que agregam aos navegadores a capacidade de utilizar recursos e executar funções não presentes linguagem HTML, com a qual são criadas as webpages. Um bom exemplo é o Flash Player, que, em última análise, consiste num visualizador de programas escritos em flash ― tecnologia que permite a criação animações vetoriais de pouco peso, isto é, facilmente carregadas e exibidas pelo navegador.

Via de regra, os plugins não são desenvolvidos pelos fabricantes dos browsers, mas por outras empresas, como a Adobe Systems, no caso do Flash Player. Assim, para manter a segurança em dia, além de atualizar o navegador à medida que novas versões são lançadas (na maioria deles, essa atualização é automática, embora também possa ser feita por demanda do usuário, bastando para isso abrir o menu de configurações, clicar em “Sobre” e seguir as instruções na tela), é fundamental atualizar também os plugins, que, por serem programas, também estão sujeitos a bugs e brechas de segurança que tanto podem minar a estabilidade do browser quanto abrir as portas para malwares e outras ameaças de segurança.

No Firefox, você pode chegar a situação dos plugins clicando no link https://www.mozilla.org/pt-BR/plugincheck/ e seguindo as instruções na tela. Para conferir quais plugins estão instalados, abra o menu de configurações, selecione Complementos e clique na aba Plugins. Se quiser desativar algum deles, clique na setinha ao lado do dito-cujo e, na lista de opções, clique em Nunca ativar. Note, porém, que desativar um plugin pode implicar a perda de capacidade do navegador de realizar determinadas tarefas. Se desabilitar o Flash, por exemplo, talvez você não consiga mais assistir a vídeos transmitidos por determinados sites.

OS FATOS A RESPEITO DO PT E DE LULA SÃO INCONTESTÁVEIS

O Estadão, em editorial, trata do desespero do PT, manifestado pela entrevista de Gilberto Carvalho ao Valor. O Seminarista prometeu uma "guerra", caso Lula seja condenado e não possa ser candidato em 2018. Leia um trecho:

O PT sabe que, se os processos contra Lula forem tratados somente no âmbito jurídico, a derrota do petista é certa, e não porque a Lava-Jato 'persegue' Lula, mas sim porque, ao que tudo indica, sobram provas contra ele. Não é à toa que a equipe de advogados destacados para defender Lula, em vez de dedicar-se a refutar as acusações, foi até a ONU para denunciar a suposta perseguição política que estaria sendo empreendida pelo juiz Sérgio Moro contra seu cliente. Além disso, usa as audiências com Moro para irritar o magistrado, tentando fazê-lo sair do sério, o que daria argumentos para sustentar a tese de que ele age contra Lula por motivações pessoais. 

Para essa gente, a democracia e suas instituições ― especialmente a Justiça e a imprensa livre ― são inimigas, pois trabalham com fatos, e os fatos a respeito do PT e de Lula são incontestáveis: o partido e seu demiurgo não apenas são os responsáveis pela pior crise econômica da história brasileira, mas também são as estrelas do maior escândalo de corrupção que já se viu no País. Logo, os petistas empenham-se em criar os chamados 'fatos alternativos' ― nome que se dá a mentiras e distorções criadas para embaralhar a realidade."

Com O Antagonista

Em tempo: Se não me falha a memória, a patuleia ignara prometeu o mesmo na época do impeachment da anta vermelha, aos brados de "é golpe, não vai passar" e o escambau. "Surpreendentemente", o país sobreviveu à "irreparável perda", como sobreviverá  e festejará  à prisão desse pulha asqueroso, digam o que disserem os sevandijas que o bajulam.

Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/

Nenhum comentário: