quarta-feira, 7 de junho de 2017

O WINDOWS 10 AINDA MELHOR

MANIA DE GRANDEZA É A DESSES SUPLEMENTOS LITERÁRIOS QUE TÊM UM AVISO DIZENDO QUE É PROIBIDO VENDER SEPARADAMENTE.


Sempre que lança uma nova edição do Windows, a Microsoft procura vender a ideia de que o que já era bom ficou ainda melhor. Na prática, todavia, a teoria costuma ser outra, e nem todos os usuários têm a mesma percepção, até porque que algumas mudanças podem não agradar a muitos, como foi o caso do consumo exagerados de recursos do Windows 8 e do navegador Edge, dentre uma porção de outros exemplos.

O Windows nasceu em 1985, mas não como um sistema operacional autônomo, e sim como uma interface gráfica que rodava no MS-DOS (clique aqui para mais detalhes). E assim permaneceu até o lançamento do festejado Win95, que já dependia bem menos do DOS. Embora ainda não fosse o sistema pronto e acabado que se tornaria a partir da edição 98, ele trouxe inovações memoráveis ― como a tecnologia Plug’n’Play, o menu Iniciar e o Internet Explorer ― e vendeu barbaridades. 

Três anos depois, foi a vez do Win98, que chegou a ser considerado o melhor Windows de todos os tempos ― e era mesmo, pelo menos na sua época. Já o Windows Millennium Edition foi um fiasco retumbante de crítica e de público; ao contrário do XP, que conquistou os usuários e se tornou a edição mais longeva da história do Windows ― embora seu suporte estendido tenha sido suspenso em 2104, o velho guerreiro ainda comanda 140 milhões de máquinas mundo afora. 

O Vista foi outro mico; o Seven, outro sucesso; o Eight decepcionou, mas o 10 agradou ― e vem conquistando mais usuários a cada dia que passa: no mês passado, ele comemorou 500.000.000 instalações, embora precise “comer muito feijão” para atingir a ambiciosa meta de 1 bilhão de máquinas (que a Microsoft esperava alcançar já no primeiro ano com a estratégia do upgrade gratuito).

A despeito de alguns deslizes, o Ten ficou ainda melhor depois de dois updates abrangentes (Anniversary, de agosto do ano passado, e Creators, lançado dois meses atrás). Mas você pode obter resultados ainda melhores com alguns truques simples e reconfigurações fáceis de implementar, como veremos na próxima postagem.

Até lá. 

JULGAMENTO DA CHAPA DIMA TEMER JÁ NO SEGUNDO DIA

Assunto mais “quente” é a situação do presidente Temer no TSE, até porque a cassação da chapa vem sendo vista como a melhor solução para afastá-lo de maneira mais ou menos honrosa e causar o menor abalo possível à governabilidade do país. Na sessão de reabertura do julgamento, ontem à noite, marcada pela leitura do relatório com o resumo do processo, o ministro-relator Herman Benjamin recomendou a rejeição de quatro preliminares (que envolviam a impossibilidade do TSE cassar diploma do presidente, a extensão de uma das ações que foram aglutinadas na ação julgada nesta terça, a perda do objeto da ação em virtude da cassação pelo processo de impeachment, e a inversão de ordem de testemunhas), sendo seguido pelos demais ministros da Corte. A sessão foi retomada nesta manhã, quando deverão ser analisadas outras seis questões (para ler a íntegra da matéria, siga o link http://cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/caderno/janot-temer-henrique-alves-e-o-2-dia-de-julgamento-no-tse-125298.html).


LENHA NA FOGUEIRA QUE A QUADRILHA VAI DANÇAR

Antes de deixar o cargo, em setembro, Rodrigo Janot vai brindar o assim chamado “Quadrilhão” com denúncias contra 23 integrantes da organização criminosa, de Lula a Palocci, de Renan Calheiros a Jucá, passando por Cunha, Henrique Alves, Benedito Lira, Mário Negromonte; enfim, uma cáfila de políticos corruptos dos três principais partidos da base aliada do (igualmente corrupto) governo federal.

De acordo com a PGR, o PT, o PMDB e o PP se associaram para saquear os cofres públicos, formando uma teia criminosa única, mas com núcleos políticos diferentes, que dividiu entre seus membros as diretorias de Abastecimento, Serviços e Internacional de Petrobras.

O PT, por exemplo, tinha o controle da Diretoria de Serviços, comandada por Renato Duque; o PMDB controlava a área Internacional ― a cargo de Nestor Cerveró e Jorge Zelada ― e o PP, o setor de Abastecimento, dirigido por Paulo Roberto Costa.

No PT, quem exercia esse papel era o ex-tesoureiro João Vaccari, que já acumula penas que somam mais 33 anos de prisão. No PP, o principal arrecadador era o doleiro Alberto Youssef, que só está em prisão domiciliar devido a um acordo de colaboração premiada. No PMDB, esse papel era feito pelos lobistas Fernando Soares, Milton Lyra e Jorge Luz, que repassavam o dinheiro para os senadores e deputados peemedebistas.

Como se vê, tudo gente da melhor qualidade, de reputação ilibada e honestidade acima de qualquer suspeita. Enfim, dizem que o exemplo vem de cima. Considerando que foram e como agiram os três últimos presidentes da República, não dá para estranhar o comportamento dessa gentalha.

Leia a íntegra da matéria em http://istoe.com.br/o-quadrilhao-em-apuros/

Para encerrar, assista ao vídeo a seguir (são só 6 minutinhos, mais vale a pena ver).


Se você não estiver lendo a postagem diretamente no meu Blog, o link para o vídeo é: https://youtu.be/SXXzZXK22Ow

Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/
Postar um comentário